Tamanho do texto

O 11 vezes campeão mundial já venceu 55 etapas do tour e é recordista como o mais novo e mais velho surfista a levar o título de uma temporada

Kelly Slater é o atleta mais velho a vencer o Mundial de surfe
WSL/ Poullenot/ Aquashot
Kelly Slater é o atleta mais velho a vencer o Mundial de surfe

Conhecido como o melhor surfista de todos os tempos, Kelly Slater afirma que não vai largar o esporte tão cedo. A temporada 2017 do Mundial de surfe tem início no próximo mês e o atleta de Cocoa Beach vai iniciar as competições como o atual sétimo colocado.

LEIA MAIS: saiba tudo sobre o surfe e estilo de vida

Recém completados 45 anos - Kelly faz aniversário em 11 de fevereiro -, o ícone do surfe vai dar o gás nesta nova temporada para tentar brigar pelo seu 12º título. Há 25 anos nas competições, seu 11º e último Mundial foi conquistado em 2011, aos 39 anos. Nas temporadas seguintes, terminou em 2º, 2º, 4º, 9º e 7º, respectivamente.

"Eu não me vejo parando de competir tão cedo, mas essa coisa de tour completo não é tão atraente", disse Slater ao "Los Angeles Times". "Se eu me sentir saudável esse ano, der o meu melhor e mesmo assim não ganhar, então eu duvido que irei continuar por muitos outros anos. Eu sinto que eu não dei o meu melhor nos últimos quatro ou cinco anos".

LEIA MAIS: Pai e treinador, Charles Saldanha conta o que esperar de Medina para 2017

"Não que eu não tentei enquanto estava nas baterias, mas é muita preparação e mentalidade para entrar os campeonatos. É estar animado com isso e encontrar uma razão para querer ganhar e querer estar onde você está, mesmo se as ondas estão péssimas, se você se sente mal ou se você está do outro lado do mundo e tem algo da família. Você tem que colocar tudo isso para trás e querer estar lá e estar preparado", disse.

Ao se aposentar, o surfista mais velho do tour ainda não sabe o que fará da vida. No entanto, Slater conta com vários negócios. Dono de uma marca de roupas de surfe, o norte-americano também é proprietário e precursor de uma piscina de ondas, a Kelly Slater Wave Co.

"Eu não tenho poucas coisas para fazer, eu tenho pouco tempo", admite o atleta. "Assim que eu sair do tour, estarei bastante ocupado com coisas mais voltadas para os negócios. Ou talvez eu possa me afastar completamente, gastando todo o meu tempo com viagens e surfe por alguns anos".

"Só por diversão. Eu gosto muito do estilo de vida. Minha coisa preferida no mundo é pegar uma boa onda, é sobre isso que existo", completou o surfista.

LEIA MAIS: Três jovens promessas do surfe brasileiro para ficar de olho em 2017

Surfe e mercado

Kelly Slater
WSL/ Tony Heff
Kelly Slater

Slater garante que viu muitas mudanças nas competições. O experiente surfista acredita que o esporte é agora do jeito que "eles" querem e faz referência aos empresários que vivem do surfe. Sobre os novos atletas que se sujeitam aos novos moldes do esporte, ele acredita que "é uma melhor oportunidade para a carreira, naturalmente você vai ter menos privacidade, cada vez mais vão ter menos pessoas na água e o mundo corporativo e dos negócios vai se interessar pelo esporte", disse.

"É natural, as coisas estão crescendo e se expandido e qualquer coisa que se torne rentável, vai atrair pessoas que vão querer capitalizar", afirmou. "É uma coisa engraçada, é muito fácil dizer que não precisa do mundo corporativo mas nós todos estamos vivendo porque tem todo um mercado por trás disso".

Ele acredita que, contanto os sufistas continuem trabalhando com resposabilidade e agindo de boa fé, ele não vê nenhum mal. "Há um tipo de pureza das raízes do surfe que nenhum de nós quer ver desaparecer. Então eu acredito que nós todos temos sentimentos conflitantes entre o esporte e misturar com negócios", finalizou.

    Leia tudo sobre: surfe

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.