Tamanho do texto

Adriano de Souza e Gabriel Medina são alguns dos surfistas do CT que vão garantir presença em SC

Adriano de Souza é um dos surfistas confirmados para o evento e compete pela primeira vez como
WSL/ Cestari
Adriano de Souza é um dos surfistas confirmados para o evento e compete pela primeira vez como "florianopolitano"


O Hang Loose Pro Contest 30 anos começa nesta terça-feira (1º) na praia da Joaquina, Florianópolis, com 114 surfistas de 22 países. Divididos em duas fases de 24 baterias, os 48 mais bem colocados no ranking mundial só entram na segunda fase. Ou seja, não competem no primeiro dia e só entram na água na quarta-feira. Adriano de Souza, o Mineirinho e Gabriel Medina são alguns dos nomes do CT que estão na Ilha de Santa Catarina. Wiggolly Dantas é a exceção, que vai estrear na quarta bateria da primeira fase porque decidiu participar na última hora.

Leia mais: Dave Macaulay, campeão do Hang Loose Pro Contest 1986, relembra conquista

Dos 114 surfistas , 86 deles são estrangeiros de 21 países, enquanto 58 são brasileiros. Durante o campeonato épico de 1986, a Austrália dominou o pódio, assim como todas as quatro edições que aconteceram em Santa Catarina. Neste ano, formam o maior pelotão estrangeiro com um total de 16 atletas contra 15 dos Estados Unidos.

A França comparece com nove surfistas e logo atrás a equipe peruana, com seis. Portugal, Espanha e Japão trazem cinco atletas cada. O Havaí conta com quatro surfistas e a Argentina, com três. Chile, África do Sul, Nova Zelândia, Taiti, Costa Rica e Ilha Reunião são as nações que terão dois competidores. Uruguai, Inglaterra, Indonésia, Barbados, Marrocos e São Bartolomeu trazem um surfista.

Leia mais: Ian Gouveia pode garantir vaga no mundial de surfe durante evento em SC

MINEIRINHO NO PRO CONTEST 2016

Agora morador da Ilha da Magia, caberá ao atual campeão mundial representar a torcida local no Hang Loose Pro Contest 30 anos. Adriano de Souza faz parte do "cast" de estrelas que participam do evento.

"É diferente, sem hotel, sem avião, sem bagagem, sem viajar, que delícia! Ainda mais depois dessa maratona europeia, vou poder vestir roupa com cheirinho de casa, dormir na minha cama e competir!", completa Adriano, que é natural do Guarujá e se mudou para a Ilha logo após se casar com a modelo Patrícia Eicke, natural de Floripa. Por ser um dos cabeças-de-chave, Mineirinho estreará na competição na segunda fase.

Leia mais: Paulo Kid, competidor em 1986, o técnico volta a Joaquina 30 anos depois

"Será um evento de alto nível e uma boa preparação já pensando em Pipeline, pois teremos quase um mês de intervalo", conta Mineirinho. "Vai ser muito interessante para mim pessoalmente pois será meu primeiro evento como "florianopolitano". Quando fui campeão fiquei impressionado com a recepção que tive na cidade no fim do ano passado e espero contar com todo esse apoio na semana que vem", descreve o atleta, que desde os tempos de moleque não competia na mesma cidade onde mora.

    Leia tudo sobre: surfe
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.