Ex-tenista Boris Becker foi condenado a dois anos e meio de prisão por falência
TÊNIS NEWS
Ex-tenista Boris Becker foi condenado a dois anos e meio de prisão por falência

Boris Becker , vencedor de seis torneios do Grand Slam, foi considerado culpado no final de abril por fraude, ao não pagar suas dívidas e declarar de forma desonesta falência. 

Diante disso, foi levado a prisão de Wandsworth, onde terá que cumprir uma pena de dois anos e meio de detenção. Famosa por suas duras condições, a cadeia estaria sendo mais "tranquila" para o ex-jogador de tênis.

Logo após entrar na prisão no início de maio, Boris Becker foi transferido para uma ala mais "amigável" da prisão e, em seguida, deslocado para outra área, designada para estrangeiros criminosos. 

Agora, Boris Becker teve uma nova conquista e tem um trabalho "confortável" na nova instituição penitenciária, onde foi nomeado assistente de classe. Mas sua rápida ascensão ao cobiçado posto levou famílias de outros detentos a escrever cartas de protesto ao governador da prisão.

“Geralmente, leva anos para você conseguir um emprego como assistente de sala de aula, pois é considerado um privilégio. Mas, Becker recebeu o trabalho semanas após ser sentenciado. Há muito ressentimento em relação a isso e as famílias de alguns prisioneiros escreveram cartas de reclamação", diz uma fonte consultada pelo The Sun.

No local, Becker ensina teoria da educação física e os benefícios do exercício e da dieta para detentos. “Não é propriamente a vida de luxo a que está habituado, mas está melhor que a maioria dos reclusos”, indica a mesma fonte, embora os Serviços Penitenciários afirmem que é “falso” que tenha havido um tratamento privilegiado.

Becker deve ser deportação automática no final de sua sentença. No entanto, ele espera ser repatriado para a Alemanha o mais tardar em novembro, sob o Esquema de Remoção Antecipada do governo. O ex-jogador acredita que será libertado antes do Natal, porque o sistema penal alemão é mais brando.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários