Surfista
Reprodução
Surfista

Renan Souza da Conceição, bodyboarder que aparece resgatando um salva-vidas na praia de São Conrado, na Zona Sul do Rio, num vídeo que viralizou nas redes sociais, rejeita ser chamado de herói e afirma que fez o resgate “sem pensar em nada”.

Renan, conhecido como Biruleibe, compete profissionalmente no bodyboard e estava no local para acompanhar uma das etapas do Circuito Brasileiro de Bodyboarding. Segundo o atleta, essa não é a primeira vez que ele resgata alguém na região de São Conrado, mas foi certamente a mais perigosa.

— Surfando aqui na região eu já vi coisas parecidas antes, sempre que vi ajudei tirando as pessoas do mar, levando para uma área mais rasa… mas nada parecido com esse de sexta, eu realmente temi pela minha vida ali, o mar tava muito forte e as pedras ali não ajudavam. Tudo muito complicado e desesperador — diz o bodyboarder. 

Sem aceitar o rótulo de herói, o bodyboarder afirma que nem ele mesmo havia mensurado o risco que estava correndo e que entrou no mar por impulso ao reconhecer o bombeiro que estava se afogando como um colega com quem convive diariamente na praia.

— Eu estava assistindo e vi que ele tava nos últimos suspiros, ele conseguiu se apoiar numa pedra e pegar um ar mas a onda veio forte e deu pra ver claramente ele parando de tentar. Eu fiquei muito nervoso, parecia que eu estava vendo ele morrer na minha frente e me negando a fazer alguma coisa. Quando me dei conta, eu já estava entrando na água, foi tudo muito rápido. Eu reconheci ele da praia, a gente se fala de vez em quando, o pessoal chama ele de Bigodinho e graças a Deus ele ficou bem — recorda-se Renan.

Leia Também

Perguntado se sentiu medo no momento do resgate, Renan não exitou:

– Não tem um dia que eu entre no mar sem medo. A gente precisa respeitar o mar e o que ele pode fazer. Quando eu vi no que tava me metendo eu só pensava em salvar o Bigodinho e em pedir a Deus que tirasse a gente dali com vida.

No dia seguinte ao resgate, no sábado, Renan acabou não conseguindo se classificar nas semifinais do Circuito, mas o Bodyboarder afirma não se arrepender de nada:

– Não vou mentir e dizer que não me afetou. Acho que o atleta tem muito aquilo do gás final, sabe? Acho que dá pra dizer que esse impulso extra eu usei ali resgatando o Bigodinho naquele momento. Eu não me arrependo de nada, sai vitorioso sabendo que salvei uma vida.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários