Spitflow entrou para a Team 33
Divulgação/V2MM
Spitflow entrou para a Team 33

Matheus “Spitflow” Pereira , de 19 anos, é a grande promessa do cenário brasileiro para a próxima Fortnite Champion Series (FNCS) . Ele entrou para o Team 33 neste mês, conta que já morou com ídolos do game e revela detalhes de sua trajetória em busca da primeira colocação.

Antes de jogar Fortnite, Spitflow já se destacava no Counter-Strike: Global Offensive e no PlayerUnknown's Battlegrounds, outro battle royale. Em 2019, ele começou a se ambientar no jogo da Epic Games e a perceber que poderia seguir carreira. “Jogava com meus amigos da escola, mas sempre conseguia muito mais abates que eles”, diz.

Assim, o primeiro convite para representar uma organização e ganhar dinheiro por isso veio poucos meses depois. “Era pouco, mas logo fui pra uma equipe maior e mais conhecida”, relembra. O destino o levou até a organização norte americana Team 33, onde está desde o início deste mês.

O jogador vive em Florianópolis (SC) com a família que, agora, o apoia na carreira no e-Sport. No início, segundo ele conta, a mãe chegou a duvidar que o dinheiro ganho nas Cash Cup’s fosse de verdade. “Achou que nunca iam debitar na conta. Quando caiu, ela ainda duvidou que fosse acontecer novamente”.

Leia Também

No entanto, aconteceu. Só neste mês de março, já foram mais de 20 mil dólares em premiações de campeonatos internos do próprio Fortnite, mas o foco de Spitflow é no topo da FNCS, competição em que ele já foi vice-campeão no modo duplas. “Estou em busca de realizar o meu sonho chegando no topo”, garante.

Morou com ídolos
Foi após ser vice-campeão no modo dupla da FNCS que Spitflow chegou ao nível de quem, meses antes, via como ídolo. Ele e sua dupla, o jogador Pattaty, decidiram se mudar provisoriamente para São Bernardo do Campo (SP), onde poderiam cumprir um bootcamp de três meses para as próximas competições. Foi nesta mudança que, por intermédio de contatos em comum, Spitflow morou com DrakoNze Master.

Gabriel “Master” é um dos principais nomes do competitivo brasileiro de Fortnite, enquanto Igor “drakoNz” Fernandes, que também era uma referência, migrou para produzir conteúdo de Valorant neste ano.

“Morei com jogadores ídolos que eu queria ser um dia, quando comecei a jogar. Nós somos amigos, como normalmente os amigos são. Foi algo muito legal que o competitivo Fortnite me proporcionou”, conta emocionado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários