Marta Kostyuk defendeu a permanência da guerra na Ucrânia
Divulgação
Marta Kostyuk defendeu a permanência da guerra na Ucrânia

Uma das tenistas mais importantes da Ucrânia, Marta Kostyuk (veja galeria de fotos abaixo) defendeu a permanência da guerra de seu país contra a Rússia e enviou uma mensagem aos tenistas russos.

"Você não pode ser neutro nesta situação. 'Não à guerra pode significar várias coisas. Por exemplo, nós (ucranianos) poderíamos acabar com a guerra se rendendo. Mas isso nunca foi uma opção", defendeu a tenista em coletiva de imprensa após a vitória sobre a belga Maryna Zanevska, em Indian Wells.

"Ninguém me disse que se arrepende do que seu país está fazendo ao meu, nem se desculpou comigo ou com outros tenistas ucranianos. Não tenho explicação para os russos se comportarem assim. Me enoja chegar ao tribunal e ver que o único problema deles agora é não poder fazer transferência de dinheiro e o escandaloso é que eles falam sobre isso", desabafou Marta contra os tenistas da Rússia.

Além disso, a ucraniana, que afirmou que se orgulha do quanto o exército de seu país é valente e resiste aos ataques russos, afirmou que teme perder sua família.

"No começo eu me senti culpada por não estar lá. 'Minha família inteira está lá, menos eu'. Eu me sentia culpada jogando tênis, que o céu acima de mim estava azul e calmo. Mas não é saudável. Todos lutam como podem. Meu trabalho é jogar tênis. É assim que posso ajuda. Nunca me senti tão próxima do meu país e do povo ucraniano como hoje. Somos uma grande família", concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários