Paulo André e Pedro Scooby
Reprodução/Globo
Paulo André e Pedro Scooby

A vibração do surfista Pedro Scooby e do velocista Paulo André Camilo ao perceberem que o primeiro havia vencido a prova do líder em menos de 30 segundos, na quinta-feira passada, chamou a atenção dos espectadores. Aliados na casa do “Big Brother Brasil 22”, os dois vibraram e gritaram muito após o fim da prova. O EXTRA conversou com um psicólogo especializado na questão esportiva para entender a relação entre os atletas, as provas e a competição na casa, além de como o esporte potencializa suas performances.

Marcos Silva, psicólogo esportivo, credita a intensidade ao passar do tempo no programa. Ele explica que o clima competitivo cresce à medida que o jogo se desenvolve, mas a relação dos dois é especial por conta das vibrações na vida de atleta.

— A partir do momento em que você está no programa, seu grau de envolvimento vai aumentando. O programa é um jogo, até de sobrevivência. É natural que ao longo do programa, eles criem estratégias para estabelecer alianças e esse clima de competição ganhe forma. Com isso, fica muito aflorada essa questão do “ganhar”. É natural que ao vencer uma prova, os participantes se comportem de tal maneira. Ainda mais sendo atletas, que têm esse repertório dessa vibração nas comemorações. Isso potencializa um pouco a questão da vibração, mas vai muito por conta do propósito do jogo — destacou.

A análise vai ao encontro da repercussão do programa nas redes sociais desde o seu início, em meados de janeiro, até o momento atual. Se nas primeiras semanas, os espectadores na Internet “acusavam” o surfista de demonstrar pouco interesse no BBB 22, os últimos dias foram uma mostra total de envolvimento no jogo.

Pedro Scooby 'tira onda'

Pedro Scooby é, até o momento, o maior vencedor de provas do líder nesta edição, incluindo essa agora, quando indicou Jessi ao paredão — nesta quinta-feira será realizada uma nova prova. O surfista também “foi campeão” nas semanas dois (ao lado de Tiago Abravanel) e seis (em dupla com o próprio Paulo André) do programa.

Para Marcos Silva, a vida esportiva da dupla, que costuma mostrar grande interesse quando as provas exigem um esforço físico, rende vantagem em questão de mentalidade.

— Eles possuem um repertório de competições muito maior. São muito mais acostumados a lidar com determinadas adversidades, com pressão, saber até mesmo lidar melhor com ansiedade pré-competitiva, regular melhor as emoções, ser resilientes e ter uma percepção maior, uma leitura melhor do jogo, da prova que está sendo proposta, além de uma percepção de vencer — salientou o psicólogo.

Leia Também

O próprio surfista falou sobre o assunto em conversa com Laís, uma de suas principais rivais na prova de resistência da sexta semana. “Não tente entrar na mente de um atleta, que é o lugar mais confortável que ele sente”, afirmou Pedro Scooby.

— É o histórico de competições, a capacidade maior de lidar com frustrações. No esporte, tirando raríssimas exceções, se perde mais do que se ganha. Com isso, você ganha casca, se torna mais resiliente. Em uma prova longa, isso faz toda a diferença. Até mesmo em uma prova de estratégia, você consegue ter uma leitura maior do que é necessário fazer — explicou Marcos Silva.

'Fichinha' e surfar com tubarões

Carlos Camilo, pai e treinador do Paulo André, afirmou que o atleta, em geral, precisa estar preparado para encarar a pressão e o fracasso. E que tanto o filho quanto Pedro Scooby têm bagagem para tirar de letra a participação em um programa de TV, mesmo em confinamento.

— Ficar longe de família e amigos é algo habitual. Eles já estão à frente nesta questão — disse Carlos, que acrescentou: — O Paulo André não está sentindo pressão. Sabe por que? Quem coloca o pé no bloco de partida de uma prova na Olimpíada, não pode sentir pressão. Os melhores do mundo estão lá e não dá para ter medo. Programa de TV é fichinha para ele e para o Scooby.

Carlos Burle, surfista de ondas gigantes e amigo de Scooby, endossou o discurso. Contou que o amigo não teve medo de pegar onda na África do Sul, em local de água gelada e repleto de tubarões brancos, “um dia após a morte de um bodyboarder”.

— O Scooby é perfeito para o BBB, é a cara do programa. Além do perfil pessoal, de ser comunicativo, tem o perfil esportista. Sabe ser estrategista porque é isso que ele precisa para escolher e descer as ondas — destacou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários