Flamengo conquistou o bicampeonato mundial
Foto: Fiba
Flamengo conquistou o bicampeonato mundial

Na terra das pirâmides, a festa foi brasileira, rubro-negra. Com a autoridade que já havia mostrado na semifinal, contra o Lakeland Magic, o Flamengo derrubou o San Pablo Burgos e sagrou-se bicampeão mundial de basquete na Fiba International Cup. A vitória por 75 a 62 sobre os espanhois, que defendiam o título do torneio, coroa uma aposta de mais de uma década na modalidade, que já rendeu sete títulos do NBB, dois títulos continentais e agora, o sonhado topo do mundo pela segunda vez.

A partida foi especial para o capitão Olivinha. Aos 38 anos, o capitão rubro-negro, que viveu praticamente toda essa história, dono de seis títulos nacionais, foi o cestinha da partida, com 17 pontos, 3 rebotes e 2 assistências. Dos 17 pontos, 9 foram em cestas de três pontos. Pelo lado do Burgos, o brasileiro Vitor Benite, ex-Fla, terminou com 14 pontos e 2 rebotes. O britânico-americano Tarik Phillip terminou com 11 pontos, uma assistência e 4 rebotes.

Luke Martinez, que brilhou no terceiro quarto, foi o segundo principal pontuador rubro-negro: 15 pontos, 5 rebotes e 4 assistências. Acabou eleito MVP (melhor jogador) do torneio.

O jogo
A volta do ala norte-americano Brandon Robinson, fora da semifinal por Covid-19, tornou a equipe de Gustavo de Conti mais agressiva. O Flamengo começou o jogo rodando bem a bola e com a seleção de arremessos calibrada. Robinson e Olivinha machucaram os espanhóis logo no início da primeira etapa com lindas bolas de três. Atordoado, o Burgos tentou equilibrar com um jogo mais físico no garrafão, mas seguiu sofrendo no perímetro e terminou o primeiro quarto 13 pontos atrás do rubro-negro.

Leia Também

No segundo quarto, o jogo ficou mais pegado. O forte garrafão dos espanhois, especialmente com Julian Gamble, tentou frear o ímpeto brasileiro. Rafa Mineiro, principal homem de garrafão do Flamengo, se aproximou do limite de faltas, à medida que a partida ia crescendo em contato. Mas o rubro-negro contou com um Olivinha inspirado da linha de três e um Yago encontrando soluções ofensivas no seu melhor estilo de basquete veloz. O jogo foi para o intervalo com o Fla vencendo por 45 a 29.

Se não conseguia dominar as ações no poste, o Flamengo achou novamente a solução no perímetro. O terceiro quarto teve os espanhois cortando parte da vantagem, mas também um festival de bolas de três rubro-negro. Luke Martínez, grande destaque do Flamengo na partida, fez duas, com Balbi e Yago aumentando a contagem. No quarto decisivo, entrou em jogo a experiência de De Conti e sua equipe. O Flamengo controlou o jogo, segurou a intensidade espanhola restante e fez o dever de casa no ataque. A emoção tomou conta da quadra nos segundos finais, o título era questão de tempo, e logo veio.

Pode comemorar, torcedor, o mundo é rubro-negro. De novo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários