Jair Bolsonaro e Dyego Hypólito
Reprodução/Instagram
Jair Bolsonaro e Dyego Hypólito

Dois anos após ser recebido no Palácio da Alvorada, em Brasília, e posar com o presidente Jair Bolsonaro, o ginasta Diego Hypolito resolveu esclarecer de uma vez por todas que não simpatiza com o atual governo.

"Só para deixar bem claro, eu não sou bolsominion, gente", garantiu ele durante uma live com Narcisa Tamborindeguy na noite da última quarta-feira.

O atleta relembrou o registro que deu o que falar em dezembro de 2019, quando ele posou com o presidente e também com a primeira-dama Michelle Bolsonaro, em Brasília, e aproveitou o momento para fazer críticas ao governo.

"Na vida acontecem várias situações, já aconteceram várias na minha: momentos de patrocínio, momentos importantes da minha carreira... Não sou uma pessoa que torço absolutamente contra ninguém, muito pelo contrário, torço a favor de pessoas. E acredito que a gente tem a possibilidade, nesse ano, de mudanças. E acredito que a gente possa sair desse vírus aí de maneira mais adequada, sei que a gente está passando por períodos complicados", disse.

Ao revelar que já tomou as três doses da vacina contra a Covid-19, Diego faz uma crítica ao negacionismo da ciência. 

"É muito importante que as pessoas tomam as vacinas e tenham a consciência. Não consigo acreditar as pessoas irem contra a ciência. Isso é uma cegueira que as pessoas têm. As pessoas, as vezes, se cegam muito por algumas coisas que elas idealizam. A gente tem que se basear pela ciência, educação, amor, respeito, isso que é mais importante. Tem que parar com essa loucura de não tomar vacina. Todo mundo tem que tomar vacina", disse o atleta, que foi candida a vereador nas eleições de 2020.

Vai em festa gay

Leia Também

Em dezembro de 2019, Diego usou as redes sociais para denunciar mensagens de ódio que vinha recebendo de internautas após aparecer numa foto com o presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, durante uma visita a Brasília.

Por conta do registro, ele foi vaiado pela comunidade LGBTQIA+ durante uma festa gay em São Paulo com gritos de "Fora Bolsonaro" (veja abaixo).

"Estou me sentindo péssimo e muito triste com esse ocorrido. Sou só humano! Cheio de defeitos e erros! E por alguém pedir para tirar foto comigo, não deveria mudar nada! Mas pelo que vejo, estou sendo odiado! E, de coração, não desejo a ninguém. Pois estou deprimido e bem triste", desabafou ele no Instagram.

Em outra mensagem postada pelo atleta, ele responde a um seguidor que diz que vai jogar ovo nele: "Se tomar qualquer atitude de agressão irá para a cadeia!", rebate Diego, continuando seu desabafo. "Recebi centenas de mensagens de ódio e intolerância. Isso é amor? Isso é respeito ao próximo!".

Diego chegou a gravar um vídeo no Instagram e falou sobre o linchamento virtual que vinha sofrendo.

"Venho aqui agradecer aos meus amigos pelas mensagens de carinho, estou surpreso, nunca fui tão xingado em toda a minha vida, nem quando eu falhei em Pequim ou em Londres [Olimpíadas]. Eu tenho a dizer que a gente combate o ódio com o amor. É difícil escutar tantos xingamentos pesados de pessoas que nem me conhecem. "Não mudei absolutamente nada da minha vida em questão de uma foto. Muito pelo contrário. Estou muito preocupado com o esporte, com vidas, preocupado que aquilo tudo que eu passei na minha carreira, em que muitas vezes não tinha nem o que comer dentro de casa, outras pessoas não passem", disse ele.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários