Amanda Ribas
Instagram
Amanda Ribas

Com as competições paralisadas por conta da pandemia da Covid-19 , alguns atletas tiveram que buscar alternativas para manter a renda. Nesse contexto, lutadoras apostaram na plataforma  Onlyfans , destinada à venda e divulgação de fotos e vídeos sensuais. 

Amanda Ribas , vista como uma das promessas do mundo do MMA, contou ao portal UOL suas experiências no site. A lutadora começou a se aventurar nesse universo ao postar conteúdos exclusivos para seus seguidores da plataforma. Porém, de uma forma diferenciada. Amanda optou por usar a plataforma não para conteúdos sexuais, mas sim, para manter um contato mais próximo com seus fãs e seguidores

Caso semelhante de Angela Hill , do UFC . Ela divulgou que usa esse canal, sem apelar para vulgaridade, como uma forma de ficar perto de seus fãs e estabelecer conversas diretas.

Ela afirmou ainda que fez a escolha do aplicativo ao ser impedida de dar aulas e ir para a competições por conta do avanço da Covid-19.

Outros nomes famosos do ramo também estão inseridos nesse mercado, por exemplo, Kyra Batara e Pati Fontes .

Kyra  afirma que sentia medo de ser rotulada como "trabalhadora sexual" por conta da fama do site. Porém, diferente Amanda e Angela, a faixa-preta investiu nos conteúdos mais sensuais.

Porém, Kyra ressaltou que essa foi sua válvula de escape para a crise causada pelo vírus. Ela ressaltou o fato de ser associada por algumas pessoas a atrizes de pornografia. "Eu sempre fui a 'garota doce da porta ao lado'. Todo mundo me via como essa lutadora fofa, já que eu comecei nas artes marciais tão jovem e sempre estive cercada pela minha família. Então, agora que as pessoas estavam me vendo com uma página no OnlyFans, eu sinto que, automaticamente, muitas pessoas pensaram o pior e fizeram algumas suposições de que eu deveria estar filmando pornô o tempo todo com qualquer um", relatou ao portal.

Você viu?

Embora seja uma alternativa, as lutadoras relataram o cuidado que se deve ter ao assumir a plataforma como uma fonte alternativa, já que os conteúdos publicados ficam na rede para sempre.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários