Ex-presidente é acusado de não dar atenção aos abusos
Foto: Divulgação/USA Hockey
Ex-presidente é acusado de não dar atenção aos abusos

O ex-presidente da Associação de Hóquei Amador de Illinois (AHAI), Jim Smith, está sendo investigado por possivelmente ter acobertado uma série de crimes sexuais cometidos pelo o ex-treinador da equipe, Thomas Adrahtas , durante o período em que comandou a entidade, entre 1985 e 1988.

O caso está sendo investigado pelo órgão SafeSport, organização americana que protege jovens vítimas de abuso sexual.  “O SafeSport dos EUA nos avisou que eles tomaram jurisdição e estão investigando alegações de que pessoas da AHAI, incluindo Jim Smith, estavam cientes de má conduta sexual por Thomas Adrahtas e não tomaram medidas contra isso”, disse o diretor executivo da USA Hockey, Pat Kelleher.

Leia mais: Brasileiro que cantou "b... rosa" para torcedora russa perde ação contra Globo

Segundo informações, durante anos, os funcionários da AHAI se recusaram a nomear Adrahtas para o Hall da Fama do Illinois Hockey , justamente por causa de “insinuações e boatos” sobre abusos. No entanto, em 2010, Mike Mullally, que era o presidente da associação na época, disse que um grupo que incluía Smith decidiu “convencê-lo de qualquer maneira” em incluir o nome do treinador.

Em nota oficial, porém, Smith apontou que “no seu tempo como presidente, não havia relatos alegando má conduta por parte de Tom Adrahtas”.

O relatório da investigação sobre Adrahtas aponta que “ele se envolveu em um padrão de conduta sexual abusiva e exploradora com vários jovens atletas que treinou, abusando abertamente de uma posição de autoridade para manipular e enganar jovens atletas masculinos para fins sexuais”. A investigação também aponta que há evidências “esmagadoras” que Adrahtas explorou pelo menos nove atletas.

Além dessa equipe, Adrahtas também foi treinador na Universidade Robert Morris, por 10 anos, de 2008 a 2018. Porém, o técnico renunciou repentinamente ao cargo, depois que a investigação do SafeSport começou, em 2018, após uma carta enviada pelo ex-jogador, Mike Sacks , detalhar o abuso sexual que ele teria sofrido por parte do treinador, e que teria durado um período de 20 meses.

Adrahtas está proibido, pelo resto da vida, de treinar times que fazem parte de qualquer evento oficial ou em qualquer atividade que envolva um órgão governamental americano, sob o âmbito do Comitê Olímpico e Paraolímpico dos EUA.

    Veja Também

      Mostrar mais