O ex-jogador de futebol americano Chuck Christian , de 60 anos, disse durante entrevista à "Associated Press", que o mpedico Robert Anderson, já falecido, fez exames retais desnecessários nele durante as temporadas de 1977-80.

Leia também: Atleta de futebol americano morre com COVID-19 em São Paulo

christian
The New York Times
Chuck Christian


O primeiro a acusar o médico de abuso foi um ex-jogador de futebol americano da Universidade de Michigan. E, além disso, a universidade analisa mais de 300 denúncias.

Leia também: Campeão da NFL com o Seahawks, Tarvaris Jackson morre em acidente de carro

Atualmente, Christian tem câncer de próstata em estádio 4, mas diz que poderia ter diagnosticado a doença antes se não estivesse traumatizado pelo exame físico anual de Anderson, que morreu em 2008. "Estou meio surpreso que ninguém mais (do programa de futebol) tenha se manifestado. Para mim, causou um impacto ainda maior porque eu não procurava por um médico por causa do Dr. Anderson. E, como eu não fui ao médico, meus problemas de próstata passaram para um câncer de próstata", disse ele.

Segundo Christian, ele resolver ir a público depois de um ex-companheiro de equipe dizer que vários colegas também foram abusados pelo médico. No início desse ano, quando a universidade revelou resultados de uma investigação secreta, centenas de pessoas reclamaram do médico.

O advogado de Christian representa mais de 120 pessoas, entre eles, ex-jogadores de futebol e de basquete de Michigan, que também acusaram o a faculdade por não os proteger.

Leia também: Ex-jogador da seleção brasileira de futebol americano morre em acidente de moto

"Temos grande admiração por Chuck Christian e outros ex-atletas do universidade, que estão bravamente avançando para compartilhar suas histórias", disse o porta-voz da Universidade de Michigan Rick Fitzgerald, que chegou a informar que foram 229 reclamações por meio de uma linha direta sobre Anderson e que eles estão analisando mais de 300 denúncias únicas.

    Veja Também

      Mostrar mais