Bocardi foi acusado de racismo após confundir Leonel com gandula arrow-options
reprodução / TV
Bocardi foi acusado de racismo após confundir Leonel com gandula

Na última semana, Leonel Diaz esperava pelo metrô na Linha 3-vermelha de São Paulo quando foi entrevistado pel repórter Thiago Scheuer, da TV Globo. Durante a entrevista, o apresentador Rodrigo Bocardi questionou se o jovem, que usava uma camisa do clube Pinheiros, estava indo "buscar bolinha lá".

Leonel então respondeu que estava indo ao tradicional clube paulistano para jogar polo aquático, modalidade em que defende o Pinheiros. Surpreso, Bocardi disse: "Aí sim, eu estava achando que era um dos meus parceiros ali que me ajudam nas partidas. Manda os parabéns pra ele".

A frase logo repercutiu nas redes sociais, onde o apresentador foi acusado de racismo. Após o jornal, Bocardi emitiu nota negando que tenha sido preconceituoso e afirmando que confundiu o jovem por conta da camisa que ele usava.

Em entrevista ao iG Esporte, Leonel afirmou que não se sentiu ofendido com a fala do apresentador, mas que gostaria de uma retratação ao vivo por parte do jornalista.

"Então, no primeiro momento eu não tinha entendido a pergunta , mas dei a resposta certa acredito. Parando para pensar depois e refletir, eu achei o comentário um pouco mal-intencionado, já que as cores do clube são azul e preto, e a blusa dos garotos que repõem as bola de tênis no clube não era parecida com a minha, o único detalhe que tinha de igual era o símbolo da entidade. Também gostaria de falar que não fiquei ofendido, porque se eu fosse pegador de bolinha, seria com muito orgulho, já que grandes atletas fizeram o mesmo. Enfim, pra finalizar eu quero que o âncora se retrate ao vivo, já que o comentário que ele fez foi ao vivo", disse Leonel.

Leonel Diaz arrow-options
Reprodução
Leonel Diaz defende o Pinheiros no polo aquático

Nascido em Cuba, o jovem de apenas 18 anos e chegou ao Brasil no ano de 2013, quando passou a integrar a equipe de polo aquático do Pinheiros. Desde então, conquistou o Campeonato Brasileiro quatro vezes, além de um Campeonato Paulista.

Estudando educação física em uma universidade de São Paulo, Leonel está no processo de naturalização para enfim se tornar brasileiro e poder realizar o seu desejo de defender a seleção brasileira.

O cubano ressalta também o apoio recebido pelos brasileiros após a polêmica com Rodrigo Bocardi. Leonel acredita ainda que o polo aquático poderia ter ainda mais fãs no país, já que possui semelhanças com o futebol.

"Me sinto muito abraçado pelos brasileiros e agradeço pelas mensagens de carinho recebidas. Em relação ao esporte, é um esporte muito forte, e acredito que se tivese mais visibilidade o povo brasileiro iria gostar, já que tem uma bola e objetivo e fazer o gol", diz Leonel.

    Veja Também

      Mostrar mais