Tamanho do texto

Rodrigo Cafu, de 43 anos, foi alvo de 14 tiros no bairro do Andaraí, zona norte do Rio de Janeiro. Ele era filho do ex-jogador de futebol Cafuringa

Rodrigo Cafu, mestre de jiu-jitsu, tinha 43 anos e trabalha como segurança do grupo Sorriso Maroto
Reprodução
Rodrigo Cafu, mestre de jiu-jitsu, tinha 43 anos e trabalha como segurança do grupo Sorriso Maroto

Na noite desta quinta-feira (07) o mestre de jiu-jitsu, Rodrigo Fernandes, mais conhecido como Rodrigo Cafu, foi executado na zona norte do Rio de Janeiro com 14 tiros.

Leia também:  No Dia da Mulher, relembre as esportistas que brilharam no Brasil e no mundo

O mestre de jiu-jitsu era filho do ex-jogador de futebol Moacir Fernandes, conhecido como Cafuringa, que atuou por Fluminense, Botafogo e Atlético Mineiro na década de 1970. Cafu tinha 43 anos e além de lutador trabalhava como segurança do grupo de pagode Sorriso Maroto.

O grupo Sorriso Maroto divulgou uma nota sobre o ocorrido. Leia abaixo.

Imagens de câmera de segurança divulgadas pela Rede Globo, mostram que Rodrigo foi alvejado na calçada de casa. O lutador estacionou a moto e foi abordado por dois ocupantes de uma moto que dispararam vários tiros a queima roupa. Rodrigo morreu na hora.

Leia também:  Real Madrid pretende tirar Neymar do PSG e prepara oferta de R$ 1.5 bilhão

Tudo aconteceu na Rua Agenor Moreira, no bairro do Andaraí. Rodrigo era casado, mas não tinha filhos.

De acordo com uma testemunha, o mestre de jiu-jitsu pediu para não ser morto. “Eu já vi o rapaz caído, da moto, e os dois atirando. Acho que era uma pistola, né (...), atirando nele. Ele chegou a falar ‘Por favor. Que isso, que isso, cara?’. Eu acho que ele estava ali pedindo clemência, mas eles não se importaram e mandaram bala”, disse.

Leia também:  Confira os jogos e os mandos de campo da terceira fase da Copa do Brasil

O caso do mestre de jiu-jitsu está sendo investigado pela Divisão de Homícidios (DH) do Rio de Janeiro. As motivações para o crime ainda não foram divulgadas.