Tamanho do texto

Diogo Montenegro sofreu na infância por ser magro demais e, por conta disso, decidiu brilhar no fisiculturismo

Diogo Montenegro, atleta brasileiro de fisiculturismo
MF Press Global/Divulgação
Diogo Montenegro, atleta brasileiro de fisiculturismo

Quem vê Diogo Montenegro , campeão do MuscleContest Brasil ao vencer Felipe Franco, um dos mais reconhecidos atletas dessa categoria de fisiculturismo no Brasil, jamais imaginaria que ele já foi um rapaz magro e totalmente distante do físico impressionante que lhe garantiu grandes vitórias em torneios nacionais e internacionais, tornando-se o número 1 do Brasil.

Leia também: Ela iniciou carreira no fisiculturismo e foi campeã em sua primeira competição

O fato de ser magrelo na adolescência foi o motivo que fez com que Diogo, na época com 14 anos de idade, começasse na musculação. E, depois, iniciar carreira dentro do fisiculturismo para se transformar num verdadeiro "monstro".

"Por ser muito magro e baixinho, meu único objetivo era ganhar massa muscular e deixar de ser magrelo, já que baixinho com 1,68 metro já não dava pra deixar de ser. Além da musculação eu sempre pratiquei outros esportes. Fui multicampeão de corrida 400 metros, joguei futebol e rugby no time de Nova Friburgo. Também iniciei no MMA e pratiquei por um tempo le parkour, skate e ginástica olímpica", disse Diogo.

Em 2011, o atleta se mudou para Niterói para cursar Educação Física pela Universidade Federal Fluminense. Foi aí que um veterano bodybuilder começou a observar e incentivar Diogo a participar, ou pelo menos assistir, a uma competição de fisiculturismo.

Diogo Montenegro, atleta brasileiro de fisiculturismo
MF Press Global/Divulgação
Diogo Montenegro, atleta brasileiro de fisiculturismo

"No primeiro momento reneguei pois minha visão sobre bodybuilding era algo completamente diferente do que realmente ele é. Pensei que fosse algo muito pequeno, até que um dia decidi aceitar o convite e fui assistir a uma competição de estreantes da IFBB (International Federation of Bodybuilding)", contou.

"Quando cheguei no local não acreditei no que estava vendo. Era uma megaestrutura, estava lotado, o público vibrando com os atletas no palco e diversos estandes de marcas de suplementos fazendo degustação de seus produtos. Foi surreal! De imediato decidi que esse era o meu esporte", destacou o carioca de 27 anos.

A primeira competição de Diogo Montenegro aconteceu em julho de 2011, no ExpoNutrition RJ, na categoria de entrada "Body Shape". Em 2012 ele mudou para a divisão "Men’s Physique" e em julho conquistou seu primeiro título no próprio ExpoNutrition RJ. Dois meses depois ele foi campeão do IFBB Champion e no início de 2013 foi vice-campeão do Arnold Classic Brasil, a maior competição da América do Sul.

Leia também: Lutar MMA usando apenas lingerie? Elas fazem isso! Confira as imagens

A carreira meteórica do atleta, no entanto, foi interrompida em 2013 devido a uma depressão. Com muita força de vontade, Diogo superou a doença e foi campeão do Arnold Classic Brasil no início de 2014.

No final do ano se tornou campeão absoluto do Arnold Classic Madrid, na Espanha, conquistando então o título de atleta profissional: IFBB Pro. Em 2015, o carioca venceu a Prestige Crystal Cup 2015, sendo o primeiro brasileiro na categoria a ser campeão na liga profissional e conseguir uma vaga direta para o renomado Mr. Olympia.

Depois, ele foi bicampeão em 2016 e venceu o Europa Games Orlando em 2017. Com isso, Diogo Montenegro se tornou o único brasileiro a competir no Olympia por três anos consecutivos.

A carreira nos dias de hoje

Diogo Montenegro, atleta brasileiro de fisiculturismo
MF Press Global/Divulgação
Diogo Montenegro, atleta brasileiro de fisiculturismo

Neste ano de 2018, Diogo já venceu uma competição em Orlando e o MuscleContest Brasil, em São Paulo. Foi a primeira competição da Liga Profissional que aconteceu no Brasil, e foi um confronto direto entre os atletas pioneiros e mais vitoriosos da categoria: Diogo Montenegro e Felipe Franco , marido de Juju Salimeni.

"Fizemos uma batalha épica com direito a torcida que parecia de time de futebol. O clima ficou bem pesado pois a rivalidade estava brutal. Mas foi uma festa linda, ainda mais com minha vitória e ele ficando em segundo lugar. O americano Andre Adams ficou em terceiro. Como o Franco tem 3 milhões de seguidores, muita polêmica foi gerada em torno disso, os fãs deles não param de me atacar, até no Instagram da minha noiva e do meu pai estão atacando", contou Diogo, aos risos.

Por enquanto, o objetivo de Montenegro já foi alcançado pois com os dois títulos ele se classificou para o Mr. Olympia que será realizado em setembro.

"Meu objetivo extra esporte é inspirar e motivar pessoas, não só atletas, mas toda pessoa que busca evolução, busca sair da zona de conforto, independente do que seja, profissão, outro esporte, estudos, relacionamento ou simplesmente inspirar pelo estilo de vida sempre positivo e arrojado", afirmou.

Leia também: "Barbie de músculos" é campeã mundial de fisiculturismo; conheça a brasileira

"Sempre fui muito competitivo, sempre gostei de competir, um dos meus sonhos era ter a oportunidade de representar o Brasil em algum esporte, nunca imaginei que pudesse ser com o bodybuilding, mas hoje sou o atleta brasileiro com mais vitórias e feitos inéditos representando nossa bandeira. É uma sensação muito satisfatória ter a oportunidade de representar o Brasil em tão alto nível. Receber o reconhecimento e carinho das pessoas é algo mágico em minha vida", finalizou Diogo Montenegro.

É um esporte?

Sim, o  fisiculturismo  é um esporte. A modalidade, inclusive, foi aceita para estar na próxima edição dos Jogos Pan-Americanos de 2019, em Lima, no Peru, valendo medalhas - a inclusão foi definida durante reunião da ODEPA (Organização Desportiva Pan-Americana) em Doha, no Catar. Também conhecido como culturismo, ele premia o atleta que melhor molda seu corpo. Juízes avaliam volume, simetria, proporção e definição dos músculos.