Tamanho do texto

Campeonato de wingsuit reuniu 40 atletas de 18 países em deserto do Estado do Arizona para teste de destreza e (muita) coragem

Competidores representando 18 países participaram neste fim de semana do Red Bull Aces, um torneio que torna ainda mais arrojada a prática do wingsuit.

O capacete feito de papel que ganhou um dos principais prêmios de inovação do mundo

O evento foi realizado nas imediações da cidade de Phoenix (EUA), no desértico Estado do Arizona.

Os 40 participantes saltaram de um helicóptero a 2,5 mil metros de altura e voaram a 200 km/h em meio a um circuito tipo "slalom" por pilares aéreos sustentados por helicópteros - em grupos de quatro competidores.

'Quando cheguei, descobri o que era ser negra': como africanos veem o preconceito no Brasil

Trata-se do mais rápido esporte aéreo não-motorizado. Os praticantes desse esporte radical voam em queda livre usando apenas uma espécie de macacão com asas.

Campeonato de wingsuit reuniu 40 atletas de 18 países
Divulgação
Campeonato de wingsuit reuniu 40 atletas de 18 países

Para que o espetáculo fosse mais interessante, cada participante carregava um sinalizador colorido, que desenhava sua trajetória no céu.

Quem são os homens e as mulheres fortes de Donald Trump

Depois de terminar em segundo lugar nos últimos dois anos, o americano Noah Bansom enfim levou a melhor sobre o compatriota Andy Farrington e ficou com o título.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.