iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

28/12 - 02:50

Perto da "maioridade", São Silvestrinha celebra nova casa

"O lugar é novo e charmoso, do tamanho das crianças. Ficou aconchegante para os pais, técnicos e torcedores", disse idealizador da prova

Gazeta Esportiva

A moderna pista do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, certificada pela IAAF (Federação Internacional de Atletismo), recebeu a 17ª edição da São Silvestrinha na tarde desta segunda-feira. Perto de completar a maioridade, a prova com cerca de 1,2 mil crianças de 6 a 15 anos celebrou sua nova casa.

"O lugar é novo e charmoso, do tamanho das crianças. Ficou aconchegante para os pais, técnicos e torcedores. Todos podem ver a São Silvestrinha bem de perto e as crianças estão participando com muita emoção dessa 17ª edição. Ela está a um ano da maioridade, mas já é um grande sucesso no país inteiro", afirmou Júlio Deodoro, superintendente geral do portal Gazeta Esportiva.Net.

Deodoro idealizou a prova em 1994 para atender à reivindicação dos pais que gostariam de inscrever seus filhos na São Silvestre antes da idade limite. Mais do que oferecer o mesmo tipo de piso utilizado no Mundial de Atletismo de Berlim-2009, a organização procurou fazer a diferença com os detalhes.

"A São Silvestrinha conta com a mesma estrutura das competições de adulto oficiais. Essas crianças participam de um cerimonial igual ao dos Jogos Olímpicos, por exemplo. Eles têm a noção de como é estar numa competição com características de uma disputa mundial da modalidade", explicou o superintendente.

Diante de uma arquibancada completamente lotada, todos os competidores correram com chips de cronometragem no tornozelo e ganharam medalhas de participação. A São Silvestrinha ainda contou com árbitros da Federação Paulista de Atletismo (FPA), além de uma equipe médica preparada para qualquer eventualidade.

José Antônio Fernandes, o Toninho, presidente da FPA, também acompanhou o evento de perto. "O Júlio Deodoro plantou essa semente há 17 anos e hoje a prova é uma árvore que dá muitos frutos. A São Silvestrinha coroa o ano que está terminando e abre caminho para o início do próximo", afirmou.

Já o ex-judoca Henrique Guimarães, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta-1996 e diretor do Centro Olímpico desde setembro, destacou o lado social da prova. "É um evento que estimula a participação de instituições sociais, uma maneira muito legal de inserir essas crianças no esporte", declarou.

O mineiro Franck Caldeira, 27 anos, conquistou a edição de 2006 da Corrida Internacional de São Silvestre e faturou a maratona masculina dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro-2007. Antes, participou da já tradicional São Silvestrinha.

"O Franck saiu daqui. Ele teve uma boa colocação na São Silvestrinha e depois ganhou a São Silvestre", apontou Júlio Deodoro, que fez questão de agradecer às autoridades do estado e do município envolvidas na prova, especialmente a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, comandada por Walter Feldman.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias