Tamanho do texto

Gabi Castrovinci exaltou o trabalho da mãe nos Estados Unidos, onde é famosa pela sua beleza e performance nos ringues

Brasileira Gabi Castrovinci fala sobre sua mãe
Divulgação/MF Assessoria
Brasileira Gabi Castrovinci fala sobre sua mãe

O Dia das Mães passou, mas a lutadora Gabi Castrovinci resolveu falar um pouco sobre a sua. A brasileira é, atualmente, um dos grandes nomes da luta-livre norte-americana, conhecida como wrestling, e vem se destacando nos últimos anos pela sua beleza e também pela excelente performance em cima do ringue. 

Leia também: Musa Gabi Castrovinci faz ensaio sensual inspirada na série "Baywatch"; veja

A mãe da musa brasileira também mora nos Estados Unidos, mas ainda sonha em ter uma vida melhor. "Ela é uma pessoa batalhadora, trabalha na limpeza aqui no país, como faxineira. Chegou nos EUA faz pouco tempo, consegui o 'green card' para ela. Não temos vergonha disso não, ela não fala inglês, e quando não se fala a língua não tem outra opção de trabalho. Quando ela aprender, aí sim pode pensar em trabalhar em um banco ou alguma outra coisa do gênero", contou ao iG Esporte.

Confira fotos de Gabi Castrovinci:

Segundo Gabi, sua mãe é divorciada desde quando ela tinha nove anos de idade. "Ela me criou praticamente sozinha, meu pai saiu de casa quando eu era criança", lembrou. "Agora procura um marido bem rico", brincou a lutadora. 

Leia também: "Gabi Castrovinci é a nova 'Musa dos Ringues' no lugar de Ronda", diz Cyborg

Ajuda mútua

Mesmo trabalhando como faxineira, a mãe de Castrovinci arruma tempo para ajudar a lutadora no dia a dia. "O que eu gosto nela é que até hoje ela cuida de mim, cuida da minha casa, me ajuda a cuidar dos meus animais quando eu viajo, ela faz comida para mim, adoro a comida dela. Ela não respeita muito minha dieta, sempre tem chocolate, pudim", contou.

Leia também: Lutadora brasileira revela que foi molestada por um tio quando era criança

A lutadora brasileira falou ainda que não tem como sustentar a mãe, que a ajudou bastante quando pensou em fazer uma faculdade. "Aqui nos Estados Unidos se começa de baixo. Eu não tenho dinheiro para sustentá-la, se eu tivesse, tudo bem. Quando eu fiz 18 anos, ela foi para Portugal para ajudar a pagar minha faculdade de odontologia, mas ão deu certo. Aí me mudei para cá, deixei de estudar", finalizou Gabi.

    Leia tudo sobre: Luta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.