Tamanho do texto

"Quando chegava no mar, ele pegava meu pé e ficava passando no pênis dele", disse Gabi Castrovinci

Lutadora brasileira Gabi Castrovinci
Divulgação / MF Assessoria
Lutadora brasileira Gabi Castrovinci

Gabi Castrovinci, primeira lutadora brasileira a participar do WWE, principal torneio de luta livre do mundo e que é sucesso nos Estados Unidos, revelou que foi molestada por um tio quando era criança - hoje ele é casado com a irmã do seu pai.

Confira:  Gabi Castrovinci, de faxineira "escravizada" a grande nome da luta nos EUA

"Isso estourou faz pouco tempo pois nunca tinha contado para os meus pais. Foi uma discussão que desencadeou essa revelação. Falei para o meu pai: 'Nossa, você fica defendendo esse monstro e ele passava a mão em mim quando eu era criança'. Acho que tinha só uns seis anos quando mudamos para Curitiba pois morávamos no interior do Paraná", disse a lutadora brasileira.

"Esse tio é casado com a irmã do meu pai. Acredito que não tenha sido a única criança que ele fez isso. Começou porque íamos muito para a praia e ele falava: 'Vamos para o mar com o tio'. Quando chegava no mar ele pegava meu pé e ficava passando no pênis dele. Era criança e depois de algumas vezes foi que entendi. Minha mãe nunca teve aquela historinha que foi a sementinha que germinou na barriga da mamãe, ela sempre me educou com esse negócio de sexo. Depois de algumas vezes me toquei que aquilo não era certo, que o que ele estava fazendo era errado", desabafou Gabi.

Confira fotos de Gabi Castrovinci

E ela continuou contando. "Éramos membros de um clube de piscina e ele falava assim: 'Vem com o tio, vamos ver se dá pé na piscina'. Ele me colocava na frente dele e ficava roçando o pênis nas minhas costas. Foram vários episódios. Quando fui crescendo, virando adolescente e ganhando corpo, eles tinham uma farmácia do lado da nossa padaria. Ele sempre fazia comentários maliciosos tipo: 'Nossa, e essa bundinha. Ai se eu te pego'. Sempre passava a mão na minha bunda ou dava um beliscão. Esse tipo de coisa típica do tio safado mesmo, pervertido", comentou Gabi Castrovinci.

Susto: Após quase quebrar o pescoço, musa brasileira defende luta livre como esporte

"Pelo que lembro ele nunca tirou o pênis para fora. Hoje isso me dá muita raiva. Quantas crianças passam por isso e coisas piores e não sabem? Acontecem estupros e ninguém fica sabendo. Família é uma das piores coisas. Não tenho relacionamento com a minha família. Só uma tia que é irmã do meu pai, que mora no interior do Paraná, que converso. E com esses primos. Da família da minha mãe não tenho muito contato", completou a lutadora brasileira.

Confira:  "Se o adversário estiver mal intencionado e for cruel, ele te machuca mesmo"

Ameaçada pelo tio

Lutadora brasileira Gabi Castrovinci
MF Models Assessoria/Divulgação
Lutadora brasileira Gabi Castrovinci

Gabi conta que, ao ser acusado, seu tio ameaçou processá-la. "Quando isso veio à tona no ano passado, ele falou que ia me processar. Eu disse que é um crime que não prescreveu. Falei que quem tem que processá-lo no Brasil sou eu. Várias vezes aqui nos EUA e no Brasil sofri assédio. Acho que isso é um dos motivos que sempre procurei ter relacionamentos com homens mais velhos", finalizou a morena, que é casada com um homem 22 anos mais velho.

Vale lembrar que a lutadora Gabi Castrovinci já foi faxineira e catou lixo nos primeiros anos em que morou nos Estados Unidos. Hoje, porém, é um dos grandes nomes do esporte norte-americano.

    Leia tudo sobre: Luta