Tamanho do texto

"Neymar está no nosso grupo no WhatsApp, falamos a toda hora por vários motivos. Ele é um cara sempre presente no grupo", disse Filipe Luís

Lance

Neymar no celular
CBF/Divulgação
Neymar no celular

Cortado da Copa América por conta de um entorse no tornozelo direito, Neymar segue em contato direto com os jogadores da seleção brasileira. Filipe Luís contou que o camisa 10 ainda participa bastante do grupo que o elenco montou no WhatsApp , um aplicativo de mensagens no celular.

Leia também: O protagonismo do atacante Neymar e a desvalorização da sua imagem

"A gente se fala diariamente. O Neymar está no nosso grupo no WhatsApp, falamos a toda hora por vários motivos. Ele é um cara sempre presente no grupo, um dos nossos líderes e que tem peso imenso no nosso vestiário. Importante que ele transmita a imagem de que está bem. Ele não está mais com a gente, mas precisa nos dar força", explicou o lateral-esquerdo.

Neymar torceu o tornozelo durante o amistoso contra o Catar, em Brasília (DF), e foi substituído por Willian na lista de convocados. De acordo com o Paris Saint-Germain (FRA), o atacante terá de ficar quatro semanas em tratamento, mas não precisará passar por cirurgia.

Ao mesmo tempo em que está sob cuidados médicos, o camisa 10 se defende na Justiça de uma acusação de estupro, feita por Najila Trindade. Por divulgar fotos íntimas da mulher com quem se relacionou em Paris, o jogador também responde por crime virtual. 

Leia também: Divórcio total entre PSG e Neymar: clube abre a porta de saída para o jogador

Diante de todo este turbilhão, sua última participação com o grupo da Seleção foi alvo de críticas. Neymar se machucou no auge da exposição do que ocorreu com Najila, e seu pai foi ao vestiário do Brasil no Mané Garrincha logo quando ele deixou o gramado. A atitude, detonada publicamente, foi justificada por Tite e recebeu o apoio de Filipe Luís.

"Quando eu quebrei a perna em 2010, a primeira pessoa que eu vi foi a minha esposa. Naquela hora eu só queria estar com ela. Sem sua presença talvez fosse ainda pior. Com certeza diante de tudo que está acontecendo, ele só queria o abraço do pai, da mãe, da irmã, para apoiar. O vestiário é sagrado e a família faz parte do grupo. Ali era um momento único e (liberar Neymar pai no vestiário) foi talvez a melhor decisão que já vi na minha vida", encerrou Filipe.

    Leia tudo sobre: futebol