Equador
Divulgação
Equador

A Fifa recusou o pedido do Chile, que tentava assumir uma vaga na Copa do Mundo de Catar, portanto, o Equador jogará o Mundial no final do ano.

A decisão estava programada para ser divulgada oficialmente nesta sexta, mas foi antecipada pelo "TyC Sports". A seleção chilena não conseguiu se classificar, mas apresentou à entidade uma série de documentos que comprovariam que a outra equipe sul-americana teria escalado um jogador de forma irregular durante as Eliminatórias.

O Chile tinha esperanças que através do recurso conseguisse pegar a vaga do Equador . Porém, a Fifa decidiu que a seleção não será sequer multada.

O lateral-direito Byron Castillo está no centro do processo. A Federação de Futebol do Chile afirma que ele é de Tumaco, na Colômbia. A do Equador, que ele é natural de General Villamil, do lado equatoriano da fronteira. As cidades estão separadas por 750km, aproximadamente.

O advogado do Chile, Eduardo Carlezzo, enviou à Fifa documentos que comprovariam que Castillo é colombiano e, dessa forma, foi escalado irregularmente nas Eliminatórias pelo Equador .

Os chilenos pedem os seis pontos disputados contra os equatorianos - ganharam um com o empate em 0 a 0 na partida do 1º turno. No returno, o Equador venceu. Com isso, o Chile subiria para a quarta colocação das Eliminatórias, com uma vaga direta no Mundial. Os equatorianos cairiam para sétimo. O Peru seguiria em quinto, na disputa da repescagem contra a Austrália.

Pelas Eliminatórias, Castillo também atuou nas duas partidas contra o Paraguai e em uma contra Venezuela, Uruguai, Argentina e Bolívia. Nestes casos, porém, não há alteração na tabela que interfira nos classificados para o Catar. O Equador está no Grupo A da Copa do Catar, com o país-sede, Senegal e Holanda.

O presidente da federação equatoriana publicou o documento da Fifa e comemorou a decisão da entidade: "Hoje a justiça esportiva foi feita, sempre soubemos que estávamos do lado certo, vamos Equador!!!", escreveu ele em suas redes sociais.

O Chile ainda pode recorrer da decisão na Câmara de Apelações da Fifa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários