Robinho
Divulgação
Robinho

A Polícia Federal ainda não informou à Justiça da Itália a localização do atacante Robinho e de Ricardo Falco, condenados em 15 de fevereiro por estupro de uma mulher albanesa em uma boate.

O procedimento, parte do processo para um possível pedido de transferência de pena, segue parado após mais de dois meses. A informação é do site "UOL".

Ao site, a Polícia Federal não falou sobre o tempo decorrido para a prestação de informações, mas afirmou que Robinho não pode ser extradito por tratar-se de um brasileiro nato, possibilidade vedada pelo Tratado de Extradição mantido entre os dois países. A instituição, porém, confirmou que as autoridades italianas podem solicitar a "persecução penal" no Brasil.

Robinho e Falco foram condenados no Tribunal de Cassação, última instância da Justiça local, em janeiro e o pedido de prisão internacional foi feito no dia 15 de fevereiro, pelo Ministério Público de Milão.

Aos 38 anos, Robinho segue afastado dos holofotes e das redes sociais. Ele não atua no futebol desde 2020, quando deixou o Sivasspor, da Turquia. O atacante chegou a retornar ao Santos, mas teve o contrato suspenso por conta do caso na Justiça.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários