Neymar
Divulgação
Neymar

O momento central da minissérie documental "Neymar - O caos perfeito", na Netflix a partir do próximo dia 25, não se passa dentro de um campo de futebol. Mas na sala de um apartamento.

Na frente de outras pessoas, o pai do jogador do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira reclama que o atleta não aceita mais sua companhia e, principalmente, seus conselhos. Uma postura que ele classifica como arrogante e que expõe sua imagem a riscos. Àquela altura, o atacante já havia enfrentado a acusação de estupro feita pela modelo Nájila Trindade.

Em resposta, Neymar Junior diz não ter liberdade e reclama que o pai não aceita ser contrariado. Ele ainda o acusa de ser agressivo com seus amigos, com funcionários e seguranças.

Apesar da troca de palavras duras, não se tratava de uma briga. Mas este foi o ápice de uma tensão desenhada ao longo dos três episódios. Após acompanhar a rotina do jogador por quase um ano e meio entre 2019 e 2020 (e ter acesso a um rico material de acervo que permite recontar fatos pregressos), a produção tem como grande trunfo o olhar para a relação entre pai e filho.

- Meu pai me ensina praticamente tudo. Sempre cuidou de mim 24 horas (por dia). Chega um momento em que você já não quer mais tanto aquilo. Você acaba perdendo o pai - reflete o astro da seleção num dos episódios.

Conflito na relação é comum entre pais e filhos. Mas quando os personagens em questão são o principal jogador brasileiro em atividade e seu empresário, torna-se um ingrediente importante para entender a trajetória e a personalidade do camisa 10 do PSG.

Leia Também

Em outra sequência chave da minissérie, Neymar pai apresenta ao filho um organograma batizado de ecossistema da NR Sports, criada para gerir os negócios. Nele, o próprio jogador é tratado como principal ativo até 2026 e sucessor do empresário no cargo de chefia quando se aposentar dos gramados. Um sonho interrompido pela resposta de que não há interesse em assumir a empresa.

Ao longo da produção, é possível ver como desde as divisões de base do Santos o empresário já tratava o filho como um negócio com potencial milionário. Atacante com passagem por times pequenos, Neymar pai teve sua carreira interrompida após um acidente de carro aos 32 anos. O talento de Junior veio como uma nova oportunidade de ser bem sucedido no futebol.

- Minuto a minuto, hora a hora, eu não posso desistir. Porque, se eu desistir dele, ele vai ser corrompido por alguma coisa, manipulado por alguma coisa. Pela inocência que ele é - diz Neymar pai, em depoimento dado à produção que mostra como ele acabou criando uma bolha em torno do filho.

Claro que nem só da relação entre os dois é feito o documentário dirigido por David Charles Rodrigues e que tem LeBron James como um dos produtores-executivos. A carreira de Neymar, com seus altos e baixos e as transferências de clubes, é revivida. Com direito a depoimentos de estrelas como Messi, Mbappé, Luis Suárez, Marquinhos e Thiago Silva, além do já aposentado David Beckham. A produção também mostra o dia a dia do jogador, seus momentos com o filho David Lucca e até um pouco de suas festas exclusivas. 

Os fãs de Neymar acostumados com conteúdos que só o exaltam e classificam qualquer crítica a ele como calúnia e fruto de inveja podem não gostar do documentário. Mas a produção está longe de deixá-lo em maus lençóis. Os episódios controversos envolvendo as cobranças do Fisco Espanhol e da Receita Federal do Brasil são ignorados. Já o caso Nájila é tratado de forma protocolar.

Ainda assim, chama a atenção a abertura dada pelo atacante e por sua família para uma produção mostrá-lo de forma humanizada. Fã declarado do personagem Batman, talvez tenha feito esta concessão tão incomum justamente para mostrar que não é e nem quer ser um super-herói.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários