Cristiano Ronaldo
Divulgação
Cristiano Ronaldo

A Juventus da Itália vive um delicado momento, já que é alvo de investigações da justiça do país devido a 42 transferências sob suspeita de irregularidades. O caso pode levar o clube a perder títulos e ser rebaixada. 

Essas investigações envolvem também Cristiano Ronaldo.

O Ministério Público de Turim está, de acordo com o Corriere Dello Sport, investigando um documento assinado pelo português e a Juventus durante a pausa do futebol em Itália, entre março e junho do ano passado, devido à pandemia da Covid-19.

O jornal italiano dá conta de que todo o plantel e equipe técnica do clube renunciaram aos salários durante a pausa do campeonato, que durou de março até junho daquele ano.

Leia Também

No entanto, Cristiano Ronaldo, agora no Manchester United, terá assinado com os dirigentes do clube um contrato onde a Juventus se comprometia a pagar 10,3 milhões de euros limpos (R$ 63 milhões) a CR7 assim que o lockdown na Itália terminasse e o futebol recomeçasse. Esse montante referia-se aos salários entre junho e março. Por ano, Ronaldo recebia 31 milhões de euros limpos na Itália.

Esta investigação começou após escutas telefônicas entre Federico Cherubini, diretor geral do clube, e o advogado da Juventus Cesare Gabasio, em que, numa conversa, falavam de um documento sobre Ronaldo "que nunca devia ter existido".

Nas buscas às instalações do clube, na passada sexta-feira, não foi, no entanto, encontrado qualquer contrato referente a esta situação. Segundo 'La Gazzetta dello Sport', se não houver notícias a curto prazo sobre essa questão, os promotores poderão convocar Cristiano Ronaldo, embora seja provável que em Turim os seus representantes que prestem o depoimento.

Ao todo, a promotoria da Federação Italiana de Futebol abriu inquérito para apurar, ao todo, 62 negociações irregulares durante 2019 e 2021 – 42 delas seriam da Juventus. A principal delas envolveu a compra do volante brasileiro Arthur do Barcelona por 72 milhões de euros (442 milhões de reais na cotação da época), com a cessão do bósnio Miralem Pjanic.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários