Messi
Reprodução
Messi

Lionel Messi é um dos maiores nomes da história do futebol, porém, não é fácil lidar com o astro argentino.

É isso o que revela Alexandre Julliard, autor do livro 'Insubmersible Messi', que lembrou alguns dos episódios do craque no Barcelona, principalmente na era de Pep Guardiola, hoje no City.

"Durante anos foi muito difícil de lidar com Messi. Era uma pessoa muito retraída, tinha um problema de comunicação e não encarava as coisas de frente. Quando algo o incomodava ficava de mau humor", explicou Julliard, que lembrou vários momentos em que o argentino chegou a não querer treinar.

"Se um dia era suplente ou substituído, no dia seguinte não queria treinar. Guardiola dizia que, se fosse preciso, pegava o carro e ia buscá-lo em casa. Isto hoje parece uma loucura. Era como um grito de ajuda. Nesses momentos era preciso falar com ele e tranquilizá-lo, para colocá-lo novamente no caminho certo".

Ainda no livro, Ignasi Oliva, diretor da rádio catalã 'Arenys', recordou o momento difícil que o Barcelona passou em 2008, quando Messi pediu para ir aos Jogos Olímpicos. "Ele estava comprometido, mas foi algo que gerou muita tensão no clube, já que o Barça começaria a jogar a Liga dos Campeões. Guardiola então perguntou a Messi se ele queria mesmo ir aos Jogos, e o argentino respondeu que sim. O treinador disse então: 'vai lá, mas quando voltar quero você motivado'", apontou.

Revelado nas categorias de base do Newell’s Old Boys, em Rosário, o argentino chegou ao Camp Nou aos 13 anos, em 2000, e estreou na equipe principal em 2005. Ele deixa o clube como seu maior artilheiro, com 627 gols e, entre vários outros troféus, conquistou quatro Ligas dos Campeões, três Mundiais de Clubes e 10 ligas espanholas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários