Caio Henrique vive grande fase no Monaco
Reprodução/Instagram
Caio Henrique vive grande fase no Monaco

O Campeonato Francês recebe mais um grande jogo neste sábado (16) entre Lyon e Monaco, e a expectativa é de que o lateral esquerdo Caio Henrique (veja fotos na galeria abaixo) faça mais uma boa atuação com a camisa da equipe do Principado. Em entrevista exclusiva ao iG Esporte, a cria da base do Santos falou sobre a expectativa do confronto, e deu detalhes de sua passagem pelo futebol brasileiro e o atual momento na carreira.


O Monaco vem de uma vitória por 3 a 0 sobre o Bordeaux, e ocupa a 6ª colocação na Ligue 1, 10 pontos atrás do líder PSG. Uma vitória sobre o Lyon faria o time escalar na tabela, mas Caio alerta sobre a qualidade do adversário.

"Um jogo difícil, um adversário de muita qualidade e com jogadores importantes no elenco. Nós sabemos que não será fácil, até pelo fato do jogo ser fora de casa. O Lyon sempre disputa a parte alta da classificação e aos poucos estão engrenando na temporada. Mas fizemos uma boa semana de treinamentos aproveitando a pausa da Data FIFA e temos que entrar muito concentrados para fazer uma grande partida e sair com um bom resultado", disse o lateral.

Caio Henrique vem colecionando ótimos números na temporada 2021/22, sendo o segundo brasileiro com mais assistências nas top-5 ligas europeias, com três. O ex-jogador de Fluminense e Grêmio destaca sua evolução diária e a importância do aprendizado com treinadores nos últimos anos.

"Acho que tudo é uma questão de evolução. Sempre fui um jogador muito focado e disposto a estar sempre aprendendo e crescendo. Trabalhei com grandes treinadores nos últimos anos e acredito que isso também tenha uma importância para essa sequência importante que estou tendo no futebol europeu. Saí do Brasil muito jovem e aprendi desde cedo a encarar as dificuldades. Mas estou sempre querendo mais e na busca por evolução.”

Confira outros pontos da entrevista do iG Esporte com o lateral esquerdo do Monaco:

IG ESPORTE: A sua saída do Santos não foi como você esperava, ainda mais pelo tratamento da diretoria na época. Apesar disso, a torcida do Peixe guarda muito carinho por você. Ainda tem o desejo de retornar ao clube em que foi criado?

Leia Também

Caio Henrique: Tenho uma ótima relação com a torcida do Santos e não guardo nenhuma mágoa do clube. Na época da minha saída tiveram alguns problemas, mas isso fica no passado. Tenho como meta ficar mais alguns anos no futebol europeu em busca de objetivos pessoais e também coletivos. Estou feliz no Monaco e tento não pensar muito lá na frente ainda. Mas o meu carinho pelo Santos será para sempre sem dúvida.

IG: Você foi contratado pelo Atlético de Madrid na temporada 2015/16 e atuou pela equipe B, chegando a treinar junto com o profissional, mas ganhou poucos minutos de jogo. Ficou alguma mágoa por não ter recebido tantas oportunidades no time principal?

CH: Na época ainda era muito jovem e acabei tendo poucas oportunidades. Mas cheguei a disputar alguns jogos pelo Atlético. Serviu de aprendizado também. Quando estava no Grêmio, eles solicitaram o meu retorno do empréstimo, mas acabei optando em aceitar a proposta do Monaco para seguir o meu caminho e ter uma sequência boa de jogos. Não guardo mágoas, mas talvez pudesse ter tido um pouco mais de espaço lá atrás.

IG: O Campeonato Francês é uma liga de muito contato físico, onde podemos a intensidade dos atletas em cada lance. Jogadores com mais habilidade e que gostam de permanecer com a bola acabam sendo prejudicados, como é o caso do Neymar. Acha que o futebol francês tem mais prós ou contras para esse tipo de atleta?

CH: É um futebol de muita força física. Jogadores muito fortes, que marcam duro e são muito rápidos. Mas eu me adaptei bem e não tenho muitos problemas quanto a isso. Acredito que tem espaço para todos os tipos de jogadores, inclusive os que gostam mais de ficar com a bola para tentar o drible ou uma jogada de efeito. É um futebol muito competitivo, mas em geral é muito leal também.

IG: Desde a última temporada você vem colecionando bons números, mas ainda não figura nas convocações do técnico Tite na seleção brasileira. A Copa do Mundo de 2022 está chegando, e a disputa na posição está acirrada. Almeja uma vaga no próximo Mundial?

CH: Seleção Brasileira será sempre um sonho para qualquer jogador e para mim não poderia ser diferente. Tenho esse sonho e espero um dia poder realiza-lo. É seguir trabalhando forte, pois sei que todos nós estamos sendo constantemente observados. Respeito todos que estão sendo convocados, mas enquanto tiver chance vou lutar pelo meu espaço também.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários