Brasil
Lucas Figueiredo/CBF
Brasil


A Seleção Brasileira fez uma atuação de gala no reencontro com a torcida brasileira na Arena da Amazônia. Os comandados de Tite saíram de campo com uma goleada por 4 a 1 sobre o Uruguai na noite desta quinta-feira (14), em jogo válido pela décima-segunda rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Neymar abriu os trabalhos fazendo gol e sendo participativo. Raphinha mostrou serviço em grande estilo ao marcar dois gols e deixar ótima impressão em sua primeira partida como titular. Gabigol, no finzinho, definiu a goleada. Suárez marcou para a Celeste.

Os comandados de Tite chegaram a 31 pontos e voltam a campo em novembro. No dia 11, o Brasil enfrenta a Colõmbia na Neo Química Arena. No dia 16, a equipe enfrenta a Argentina em San Juan.

NEYMAR TÁ ON!

Centro das atenções após a divulgação da declaração que em 2022 pode jogar sua última Copa na carreira, Neymar precisou de poucos minutos para deixar para trás a lembrança da atuação apagada contra a Colômbia. Com espaço, o camisa 10 assustou Muslera logo aos dois minutos e levou perigo especialmente em jogadas com Lucas Paquetá.

Com amplo domínio no meio de campo, a equipe de Tite chegou ao gol com categoria. Fred fez lançamento milimétrico e encontrou Neymar. O camisa 10 matou no peito, driblou Muslera e, com calma, completou para a rede.

Leia Também

RAPHINHA NA ÁREA

Mesmo em vantagem, a Seleção Brasileira continuou a aproveitar as brechas deixadas pela Celeste. Lucas Paquetá passou como quis por Nandez e cruzou rasteiro para Neymar. O craque dominou a bola e bateu rasteiro. Muslera chegou a fazer a defesa, mas Raphinha, lançado pela primeira vez como titular, estufou a rede.

O Brasil continuou a dominar as ações, contando com a atuação segura de Fred e a postura incisiva de Neymar, Raphinha e Paquetá. O camisa 17 deu uma caneta em Nández e cruzou. Na sobra, Fabinho mandou para as nuvens. Logo depois, Alex Sandro serviu Gabriel Jesus. Diante de Muslera batido, no entanto, o camisa 9 se atrapalhou e tentou a jogada com Raphinha, só que a defesa uruguaia aproveitou.

CELESTE REAGE, MAS BRASIL SE IMPÕE ETAPA INICIAL

Com mais fõlego devido à parada para hidratação, o Uruguai ensaiou uma reação. Bentancur arriscou da esquerda e a bola passou perto da meta de Ederson. Em seguida, Nández cruzou e Cavani exigiu o goleiro brasileiro.

Contudo, logo a Seleção Brasileira voltou a ameaçar a vulnerável defesa uruguaia. Após tabela com Raphinha, Neymar ajeitou de esquerda e bateu, obrigando Muslera a se esticar para defender. Ao receber passe de Emerson, o atacante do Leeds deixou Godín na saudade e finalizou para nova defesa do goleiro da Celeste. Na reta final, Gabriel Jesus ainda desperdiçou nova chance.

URUGUAI MUDA... MAS ATAQUE BRASILEIRO SEGUE SE IMPONDO

No intervalo, o técnico Oscar Tabárez promoveu trocas nas laterais do Uruguai (Martín Cáceres e Piquerez entraram nos lugares de Nández e Viña, respectivamente) e lançou Torreira no lugar do De La Cruz. Entretanto, o Brasil via Neymar e Raphinha com brechas para tabelas. Gabriel Jesus aproveitou espaço na intermediária e Muslera espalmou. Em nova investida, Emerson encontrou Raphinha, que novamente fez o goleiro da Celeste trabalhar.

Já na frente, a Celeste chegou a trocar passes próximo à área brasileira. Aos dez minutos, Cavani recebeu passe e tocou na saída de Ederson, mas a jogada foi anulada corretamente por impedimento. Só que o Brasil aos poucos foi se sobressaindo novamente.

NO EMBALO

A prova de que o ataque brasileiro estava embalado veio aos 13 minutos. Gabriel Jesus serviu Neymar. O camisa 10 abriu caminho para Raphinha correr. O camisa 19 foi até a área e encheu o pé. A bola carimbou a trave de Muslera antes de entrar.

O Brasil seguiu incisivo mesmo com a vantagem dilatada. Raphinha esticou e Neymar só não finalizou porque a zaga uruguaia o desarmou. As mudanças de Tite mantiveram o ímpeto ofensivo canarinho. Antony engatou contra-ataque para Neymar. O atacante serviu Gabigol, que finalizou e obrigou Muslera a defender. O camisa 21 ainda teve nova chance salva pelo goleiro da Celeste.

SUÁREZ DIMINUI PARA A CELESTE

Aos poucos, porém, o Brasil passou a se descuidar defensivamente. O Uruguai se lançava em contra-ataques e rondava a área com Suárez e Cavani. De tanto cercar, a Celeste diminuiu o placar. Suárez cobrou falta precisa no canto de Ederson aos 31 minutos.

TEM TAMBÉM GOL DO GABIGOL!

O "susto" não arrefeceu os ânimos da equipe canarinha. Antony serviu Neymar, que chutou pelo lado de fora. Ainda tinha tempo para o quarto gol brasileiro. Mas foi com uma dose de suspense.

Neymar cruzou na medida e Gabigol cumprimentou. Muslera chegou a saltar, mas a bola escapou para a rede. O árbitro inicialmente anulou a jogada por impedimento. Porém, após dois minutos traçando as linhas, o gol foi confirmado. A goleada brasileira estava sacramentada para o delírio da torcida.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 4x1 URUGUAI

Data-Hora: 14-10-21 - 21h30 (de Brasília)
Estádio: Arena da Amazônia, em Manaus (AM)
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Assistentes: Juan Bellati e Diego Bonfa (ARG)
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Renda / Público presente: R$ 2.943.725,00 / 12.528 presentes

Cartões amarelos: Fabinho (BRA), Fernando Valverde, Cavani (URU)

Gols: Neymar, 9/1T (1-0), Raphinha, 17/1T (2-0), Raphinha, 13/2T (3-0), Suárez, 31/2T (3-1), Gabigol, 39/2T (4-1)

BRASIL: Ederson; Emerson, Lucas Veríssimo, Thiago Silva e Alex Sandro; Fabinho (Douglas Luiz, 25/2T), Fred (Edenílson, 42/2T) e Lucas Paquetá (Antony, 15/2T); Raphinha (Everton Ribeiro, 25/2T), Neymar e Gabriel Jesus (Gabigol, 15/2T). Técnico: Tite

URUGUAI: Muslera; Nahuel Nandez (Martín Cáceres, intervalo), Sebastián Coates, Diego Godín e Viña (Piquerez, intervalo); Valverde, Matías Vecino (Facundo Torres, 19//2T), Bentancur (Gorriarán, 25/2T) e De La Cruz (Torreira, intervalo); Suárez e Cavani. Técnico: Oscar Tabárez

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários