Messi
Reprodução/Instagram
Messi

A saída de Messi do Barcelona está ganhando novos capítulos conforme o tempo vai passando.

Joan Laporta, presidente do time espanhol, reconheceu que ficou desconfiado durante as negociações com o argentino que ele já tinha a oferta do PSG e que a pressão dos franceses frustrou a sua principal ilusão, "que Léo nos dissesse que ia jogar um ano de graça no Barcelona".

O presidente máximo do clube Blaugrana fez essas declarações em uma entrevista no programa RAC1 ‘El Món’ com Jordi Basté.

“Eu aprecio muito o Messi para estar zangado com ele, mas chega um momento em que há decepção de ambos os lados. Ele queria ficar, mas também sofreu muita pressão por causa da oferta do PSG. Imagino que eles sabiam que, se não assinassem com o Barça, teriam uma oferta do PSG. Não sei ao certo, mas tudo indica que eles já tinham uma oferta muito poderosa. Posso estar delirando, mas por um momento tive a ilusão de que Messi aceitaria para jogar de graça, embora eu saiba que você não pode pedir isso a ninguém. Ele me conhecia, eu me dava bem com ele, fiz tudo pela família dele. O que espero agora é prestar-lhe uma homenagem adequada se ele estiver disposto", disse.

Diante do futuro do clube, ele mostrou sua confiança de que Pedri, Gavi e Ansu renovarão em breve e anunciou que o Barça poderá contratar jogadores importantes na próxima janela.

“A prudência do CEO é boa, mas às vezes, como aconteceu em 2003, o processo de recuperação pode ser acelerado em alguns anos. Reitero que trazer jogadores importantes no próximo ano é possível porque temos recursos. No verão passado, quando fomos atrás do Neymar, não tínhamos todas as informações. Acreditávamos que havia mais margem para endividamento, mas, por outro lado, ele cedeu à proposta do PSG, apesar de nos ter dito que queria voltar. Não teria resolvido nada para nós. O resultado de não vir é bom", concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários