Cheirando
Reprodução
Cheirando

O clássico  Manchester United x Liverpool , válido pela rodada 34.ª da  Premier League , em Old Trafford, foi adiado após a invasão de cerca de mil torcedores dos Diabos Vermelhos , que protestavam contra a família Glazer, dona do clube.

Imagens que surgem um dia depois do ocorrido mostram atitudes lamentáveis de alguns adeptos da equipe. Um deles cruzou o campo com uma bandeira de escanteio do United e foi filmado mais tarde cheirando um pó branco suspeito na baliza. Nas imagens é possível ver ele cheirando a substância no fundo do mastro.

Cheirando
Reprodução
Cheirando

Após dar a impressão de cheirar, ele segura a bandeira - com o brasão do clube - e grita "United" enquanto ri para a câmera. O vídeo foi compartilhado no Snapchat com um emoji risonho e uma legenda dizendo: “Striped off the flag.”

O Manchester United anunciou, nesta segunda-feira, que vai trabalhar com a polícia para identificar os torcedores. "Enquanto muitos fãs queriam exercer seu direito de protestar e expressar seu opinião pacificamente, alguns estavam empenhados em perturbar a preparação da equipe e o próprio jogo, como ficou evidenciado no Lowry Hotel e no estádio", escreveu o clube em um comunicado. O clube também negou que tivesse deixado o portão aberto.

"Depois de quebrarem barreiras e a segurança no pátio, alguns manifestantes escalaram os portões no final do túnel, então forçaram o acesso a uma porta lateral, antes de abrirem uma porta externa que permitiu outros torcedores entrarem a área do saguão e depois para o campo", disse o United no documento apresentado à polícia. "Uma segunda violação ocorreu quando um manifestante quebrou a porta de um elevador de acesso para deficientes, permitindo que um grupo entrasse no estádio."

A polícia tentou tirar os torcedores, mas foram recebidos por garrafas de vidro.  A polícia disse que seis policiais ficaram feridos, incluindo um que sofreu uma fratura na órbita do olho e outro cujo rosto foi cortado. O chefe de polícia assistente Russ Jackson disse: “Nós respeitamos totalmente o direito ao protesto pacífico. Mas logo ficou claro que muitos dos presentes não tinham intenção de fazer isso pacificamente", concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários