Robson
Reprodução
Robson

Robson Oliveira , ex-motorista do volante Fernando, ex-seleção brasileira, que está preso a mais de 600 dias na Rússia por entrar no país com medicamentos proibidos a pedido do jogador (eram duas caixas de Mytedom 10mg, vendido legalmente no Brasil e proibido naquele país), pode ter um desfecho positivo do seu caso ainda em 2020.  Vale lembrar que a Justiça russa prorrogou a prisão até abril de 2021.

De acordo com a coluna do jornalista Mauro Cezar Pereira, os advogados do brasileiro esperam que ele seja julgado ainda esse ano, para que, dependendo da sentença, permitam que retorne ao Brasil em liberdade, ou para cumprir pena em seu país de origem.

"Aguardamos a decisão da justiça russa para solicitar que ele possa voltar para casa, ou esperar pelo pedido de perdão do governo de Moscou", explicou o advogado Olímpio Soares, em declaração publicada no UOL.

Recentemente, foram coletados depoimentos de dois policiais como testemunhas.  "O promotor leu todos os outros depoimentos. Em seguida, analisamos o caso inteiro e passamos pelo testemunho do Robson. Demorou cerca de 30 minutos. Não vamos esperar por outras testemunhas, tentando acelerar o processo. A próxima audiência será no dia 17", explica Pavel Gerasimov, advogado russo do brasileiro.

Com a proximidade das festas de final de ano, quando a Justiça russa tme uma longa pausa, a expectativa da defesa é que o processo acabe em 2020. "Não serão solicitadas mais depoimentos das testemunhas de acusação. Além disso, a juíza parece ter a tendência de correr com o processo. Acho que na verdade eles estão vendo o sofrimento do Robson e querendo acabar logo com isso", destaca Olímpio Soares.

No mês passado, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) e embaixadora Márcia Donner Abriu viajaram à Rússia com uma carta oficial do governo brasileiro para ser entregue à Vladimir Putin, presidente da Rússia.  A carta pedia a reparamento da justiça russa sobre a situação do brasileiro .

    Veja Também

      Mostrar mais