David Villa, pelo Barcelona
Getty Images
David Villa, pelo Barcelona

O ex-atacante do Barcelona, Atlético de Madrid e seleção espanhola , David Villa , negou por meio de nota oficial que teria assediado sexualmente uma ex-funcionária do time , por onde atuou por 125 partidas e fez 80 gols.

Campeão do Mundo com a Espanha em 2010, o jogador afirma que "as acusações são absolutamente falsas" e que nunca as ouviu até que fossem publicadas no fim de semana passado".

"Em Nova York, eu sempre me senti amado e respeitado por todos dentro e fora do clube. É difícil entender por que essas falsas acusações surgem quando deixei a cidade em dezembro de 2018", afirma.

O jogador apontou ainda que "o assédio é um grande problema para a sociedade" e que "é muito lamentável para aqueles que sofreram assédio que outras pessoas usem como desculpa para fazer acusações falsas".

Por fim, ele "imploro a qualquer pessoa ou meio de comunicação que respeite o direito à presunção de inocência".

As acusações partiram de uma estagiária do time, por meio do twitter. "Pensei que estava tendo a oportunidade da minha vida quando consegui aquele estágio. Mas o que eu consegui foi ter o David Villa me tocando todos os dias, e os meus chefes achando que tudo era brincadeira. Mulheres que têm coragem suficiente para contar histórias destas em voz alta são como heroínas para mim", diz a mensagem escrita pelo usuário de nome Skyler B.

O New York City se posicionou sobre a acusação e informou estar abrindo uma investigação interna.

"Levamos esse assunto extremamente a sério e não toleramos assédios de qualquer tipo em nosso clube. Abrimos imediatamente uma investigação sobre o assunto", divulgou o clube em comunicado.

David Villa é o maior artilheiro da história da seleção espanhola. Ele estava no elenco que conquistou a Copa do Mundo de 2010 e foi um dos artilheiros do torneio, ao lado de Diego Forlán, Sneijder e Thomas Müller. Ele encerrou a carreira no ano passado, defendendo o Vissel Kobe, do Japão.

    Veja Também

      Mostrar mais