Lance

Drogba arrow-options
Divulgação
Drogba

Após dois médicos franceses sugerirem um estudo para fazer possíveis testes com uma vacina  contra o novo coronavírus na África , três ícones do futebol do continente se posicionaram duramente contra essa ideia. Drogba, Eto'o e Demba Ba criticaram a opinião dos profissionais de saúde.

Leia também: Neymar doa R$ 5 milhões para ajudar no combate à COVID-19

Em um programa do canal LCI, da França, Dr. Jean Paul Mira, chefe do serviço de reanimação do Hospital Cochin em Paris, e Camille Locht, diretora de pesquisa do Iserm, um instituto francês de saúde e pesquisa médica, fizeram a seguinte reflexão: "...não deveríamos fazer um estudo na África em que eles não tenham máscaras, tratamentos ou reanimação? Isso é feito em estudos sobre aids, onde prostitutas são usadas para testar certas coisas, porque sabem que são altamente expostas e não têm proteção".

Em seu twitter, o atacante Demba Ba publicou o vídeo com duras críticas.

- Bem-vindo ao Ocidente, onde os brancos se consideram tão superiores que o racismo e a debilidade são banalizados. Hora de se levantar! - escreveu.


Samuel Eto'o comentou a publicação de forma ainda mais incisiva e xingou os médicos de "filhos da p...".


Depois, Didier Drogba também se posicionou. Em seu perfil do Twitter, o atacante disse que os líderes africanos têm que proteger a população.

- Não tomem os africanos como cobaias humanas! É absolutamente nojento... Os líderes africanos têm a responsabilidade de proteger a população dessas conspirações horríveis. Que Deus nos proteja - escreveu


    Veja Também

      Mostrar mais