Wayne Rooney arrow-options
Divulgação
Wayne Rooney

Em sua coluna no jornal inglês "Sunday Times", o ex-atacante do Manchester United e da seleção da Inglaterra Wayne Rooney criticou as entidades esportivas e governamentais pela forma como estão lidando com a pandemia do coronavírus. Ele acusou as autoridades de tratar os jogadores como "cobaias" durante a crise.

Rooney, que joga e faz parte da comissão técnica do Derby County, considera que as entidades do futebol do Reino Unido deveriam ter agido mais rapidamente para interromper temporariamente a temporada.

A rodada do fim de semana na Premier League e na Liga Inglesa de Futebol foi interrompida apenas na sexta-feira, após o técnico do Arsenal, Mikel Arteta, e o atacante do Chelsea Callum Hudson-Odoi terem dado positivo para o vírus.

"Por que esperamos até sexta-feira? Por que esperamos Mikel Arteta ficar doente para o jogo na Inglaterra para fazer a coisa certa? Para os jogadores, funcionários e suas famílias, foi uma semana preocupante - em que você sentiu falta de liderança do governo, da FA e da Premier League", escreveu Rooney.

"Após a reunião de emergência, finalmente a decisão certa foi tomada - até então quase parecia que jogadores de futebol na Inglaterra estavam sendo tratados como cobaias. Eu sei como me sinto. Se alguém da minha família for infectado por mim porque eu tive de jogar quando não é seguro e eles ficarem gravemente doentes, eu teria de pensar muito em voltar a jogar. Eu nunca perdoaria as autoridades".

Rooney, de 34 anos, acredita que a questão financeira estava no centro da demora em adiar os jogos.

"O restante do esporte - tênis, Fórmula 1, rugby, golfe, futebol em outros países - estava parando e nos disseram para continuar. Acho que muitos jogadores pensaram: 'Isso tem a ver com o dinheiro envolvido?"

    Veja Também

      Mostrar mais