Lance

Atlético de Madrid fará a final da Supercopa da Espanha contra o Real Madrid
Reprodução/Twitter Atlético de Madrid
Atlético de Madrid fará a final da Supercopa da Espanha contra o Real Madrid

O gol de Koke, que abriu o placar aos 18 segundos do segundo tempo, no Estádio King Abdullah, na Arábia Saudita, era um prelúdio da etapa final. Nesta quinta-feira, pela Supercopa da Espanha , o Atlético de Madrid saiu na frente, tomou a virada do Barcelona com gols de Messi e Griezmann, mas 'revirou' no fim, pelos pés de Morata (de pênalti) e Correa, e venceu o time catalão por 3 a 2. 

Na decisão, o Atlético de Madrid enfrenta no domingo, às 15h (de brasília), o Real Madrid, que nesta quarta, bateu o Valencia por 3 a 1. Diferente dos outros anos, quando o campeão do Espanhol enfrentava o vencedor da Copa do Rei em dois jogos, nesta edição, além dos dois campeões nacionais, os vices também disputaram o torneio, dividido em jogos únicos de semifinal e final, todos na Arábia Saudita. 

OBLAK PARA O BARÇA

Os times começaram imprimindo bastante intensidade, mas compactas, as defesas se sobressaíam e os goleiros não eram exigidos. Até que Messi apareceu. O argentino partiu de antes da meia-lua, tabelou com Jordi Alba, invadiu a área e bateu cruzado. Oblak, esbanjando reflexo, fez enorme defesa.

Com o passar dos minutos, o Atleti assumiu postura bastante retraída e só o Barça trabalhava a bola. Assim, as chances começaram a aparecer. Primeiro, em escanteio, Griezmann desviou e tirou tinta da trave. Depois, o Suárez descobriu o francês na esquerda com raro espaço, o camisa 17 ficou cara a cara com Oblak, tentou a cavada, mas o esloveno levou de novo a melhor. 

Na volta para o segundo tempo, brilhou a estrela de Koke e Simeone. O meio-campista, voltando de lesão, foi lançado no intervalo. E com 18 segundos em campo, recebeu de Correa na área, e em seu primeiro toque na bola, fez 1 a 0.

O gol precoce sofrido na etapa final foi a fagulha que o Barça precisava. Apenas quatro minutos depois, Messi ganhou dividida de dois jogadores no 'pé de ferro' na entrada da área e bateu rápido de direita, colocando a bola na bochecha da rede, e empatou. Aos 13, novo momento genial do argentino. Ele pegou bola rebatida, ajeitou antes de bater no cantinho e marcar um golaço. Com auxílio do VAR, porém, o árbitro considerou que o camisa 10 levou com a bola com o braço.

Mas a decisão só adiou o que viria a seguir. Dois minutos depois, Jordi Alba cruzou na cabeça de Suárez, Oblak fez um 'milagre' à queima roupa, mas no rebote do goleiro, Griezmann chegou completando para as redes e virou a partida contra seu ex-clube: 2 a 1. O time blaugrana continuou avassalador e marcou novamente com Piqué após boa trama em bola parada, mas Vidal, que deu a assistência, teve impedimento muito ajustado flagrado pelo VAR.

Nos minutos finais, o duelo ganhou muito em emoção. Atrás, Oblak continou salvando. Na frente, o Atleti contou com um apagão da defesa catalã. Vitolo foi lançado totalmente livre e foi derrubado pelo goleiro Neto. Pênalti, que Morata cobrou forte no canto direito e marcou: 2 a 2. E aos 40, veio a outra. A retaguarda do Barcelona dormiu de novo, e dessa vez foi Correa quem saiu de cara com Neto e bateu. O brasileiro tocou na bola, que ainda sim, entrou mansamente no fundo do gol. Era o 3 a 2 e a vitória heroica dos comandados de Simeone.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários