Tamanho do texto

O ex-jogador colombiano disse que episódio aconteceu após briga entre ele e o paraguaio em abril, quando eles entraram em conflito durante partida

Asprilla e Chilavert se estranharam durante jogo de 1997 arrow-options
Diez / Reprodução
Asprilla e Chilavert se estranharam durante jogo de 1997

O ex-jogador colombiano Faustino Asprilla, que já defendeu Palmeiras e Fluminense, revelou em uma minissérie sobre a sua vida que um traficante se ofereceu para matar o então goleiro da seleção paraguaia José Luis Chilavert na década de 90.

Leia também: Atriz pornô pede para fazer cena de sexo com o ex-jogador colombiano Asprilla

Segundo Asprilla , isso aconteceu em 1997, após uma partida no Defensores del Chaco, em que o Paraguai venceu a Colômbia por 2 a 1, pelas Eliminatórias para o Mundial do ano seguinte, na França. A seleção paraguaia vencia por 1 a 0, quando Asprilla e Chilavert se estranharam dentro da área e o goleiro agrediu o colombiano, que revidou.

Leia também: Colombiano Asprilla, ex-Palmeiras e Flu, recebe ameaça de morte em seu país

O árbitro acabou dando pênalti para a Colômbia e expulsou os dois jogadores. Chilavert foi até o banco de reservas e deu outro soco em Faustino, dando início a uma grande confusão.

Faustino Asprilla arrow-options
Reprodução
Faustino Asprilla

Depois do jogo, Asprilla recebeu uma ligação no hotel onde estava. Julio César Correa Valdés, um membro do Cartel de Medellín, estava do outro lado da linha e foi direto ao assunto. 

"Precisamos que você nos autorize para que esses dois (dois matadores profissionais) fiquem aqui em Assunção para matar aquele gordo Chilavert", disse Valdés, para espanto de Asprilla.

Leia também: "Maradona muda de lado por um cachorro-quente e uma Coca", diz ex-goleiro

Assustado com a proposta,  Asprilla  teria dito a Valdés que era loucura e que não poderia fazer aquilo, que isso acabaria com o futebol colombiano e que o que acontecia no campo ficava no campo, convencendo o traficante .

    Leia tudo sobre: Futebol