Tamanho do texto

Em entrevista, craque português disse que quer retribuir favor de três mulheres que o davam comida quando ele ainda era criança; confira mais

Nesta semana, durante entrevista ao "Good Morning Britain", Cristiano Ronaldo contou a história de três mulheres que doavam comida para ele quando era criança e disse que deseja agradecer pessoalmente cada uma delas, chamando-as para jantar.

Leia também: Cristiano Ronaldo diz que merece ganhar mais Bolas de Ouro do que Messi

Cristiano Ronaldo arrow-options
O Globo
Cristiano Ronaldo


Cristiano Ronaldo relembrou da época em que vivia com outros atletas, longe da família, enquanto batalhava para se jornar um jogador profissional. "Quando eu era criança, com 11 ou 12 anos, nós não tínhamos dinheiro. Vivíamos no mesmo lugar [em Lisboa], que outros jogadores, todos atletas mais novos. Eu via a minha família [na Ilha da Madeira], a cada três meses. Isso foi difícil. Um período muito difícil sem a família”, disse o jogador.

Leia também: Cristiano Ronaldo vai às lágrimas com vídeo inédito de pai, morto há 15 anos

Segundo o craque da Juventus, três mulheres que trabalhavam em uma rede de fast-food, davam comida para os jovens sempre que podiam. “Tarde da noite, às 22h30 ou 23h00, nós estávamos com um pouco de fome. Então, encontramos uma loja próxima ao estádio onde vivíamos. Sempre chegávamos na porta dos fundos, batíamos na porta e perguntávamos: ‘Olá, sobraram alguns hamburgers?’. Edna e as outras duas moças eram incríveis", explicou.

"Nunca as encontrei novamente. Eu converso com algumas pessoas, que estão em Portugal, para tentar encontrá-las”, completou o jogador, que garante não ter esquecido desses momentos mesmo após o sucesso. Agora, ele quer retribuir o favor.

“Eles fecharam aquela loja. Mas eu espero que esta entrevista ajude a encontrá-las. Eu ficarei tão feliz, pois quero convidá-las para Turim ou Lisboa, para virem até a minha casa e jantar comigo”, disse.

Na última quinta-feira (19), uma das mulheres se manifestou e aceitou o convite do português . "Um dos meninos era Cristiano Ronaldo, que, provavelmente, era o mais tímido do grupo. Isso acontecia quase toda noite da semana. É engraçado que ele relembre agora de algo que aconteceu há tanto tempo. Pelo menos, agora, as pessoas sabem que não foi uma invenção", disse Paula. 

Leia também: Fifa anuncia finalistas para prêmio de melhor do mundo. Quem deve ganhar? Vote

"Se ele me convidou para o jantar, eu vou, com certeza! A primeira coisa que farei é agradecer e, durante o jantar, teremos tempo para lembrar daquela época”, finalizou ela, aceitando o convite de Cristiano Ronaldo .