Tamanho do texto

Em operação antiterrorismo em Turim, na Itália, foram apreendidos dezenas de armas, munição e um míssil. Principal torcida organizada da Juventus está relacionada com o caso. Saiba mais

peças neonazistas arrow-options
Reprodução
Polícia encontrou bandeiras da torcida organizada da Juventus e muito armamento

A polícia italiana anunciou nesta segunda-feira (15) a prisão de três homens ligados ao partido político italiano neofacista depois de encontrarem um enorme arsenal de armas automáticas, material com símbolos nazistas e um míssil. O alvo inicial da investigação era uma torcida organizada da Juventus.

Leia também:  Atlético de Madrid vai investir na contratação de James Rodrígues

O grupo Drughi é a principal torcida organizada da Juventus . Após encontrarem bandeiras desse coletivo num centro skinhead em Turim, a polícia também encontrou vários fuzis automáticos, armas de assalto, pistolas, baionetas, munição, rifles de caça e até um míssil terra-ar de 800kg que é utilizado pelo exército do Qatar.

míssil arrow-options
Reprodução
Míssil apreendido em operação que começou com torcida da Juventus

Todo o arsenal estava espalhado na casa das três pessoas. Um dos presos na operação foi o ex-candidato ao Senado em 2001, Fabio Del Bergiolo, de 50 anos, ele faz parte do partido nacionalista Força Nova. Os outros detidos foram Michele Monti e Fabio Amalio Bernardi.

Leia também:  Por rebeldia, PSG ameaçou deixar Neymar sem jogar até 2022, diz jornal

A operação que envolveu a torcida da Juventus foi organizada pelo Serviço Antiterrorismo da Itália e pela Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais (Digos) da polícia de Turim.