Tamanho do texto

Acusado de quebrar regras do Fair Play Financeiro da UEFA, os citizens afirmam que o processo foi deturpado para prejudicar o clube

Estádio do Manchester City
Divulgação
Manchester City respondeu sobre acusações de quebrar regras do Fair Play Financeiro da UEFA

O Manchester City emitiu uma nota oficial nesta terça-feira (14) e afirmou que não quebrou as regras do Fair Play Financeiro da UEFA. De acordo com o jornal americano The New York Times, as investigações sobre supostas irregularidades financeiras podem deixar o clube inglês de fora da próxima Champions, maior ambição do time atualmente.

Leia também: Gabriel Jesus recebe aval e pode deixar o Manchester City no meio deste ano

Segundo o veículo, os responsáveis pela investigação contra o Manchester City  estão há duas semanas na sede da UEFA em Nyon, na Suíça, para apresentar suas visões sobre o assunto. O painel de investigadores responsável pelo andamento do caso deverá propor que o time de Guardiola seja banido da próxima Champions League .

Ainda de acordo com o jornal, pessoas envolvidas na investigação afirmam que o clube teria enviado valores balanços financeiros falsos e ocultado o real valor recebido em patrocínio. Dessa forma o time tentaria fraudar a regra de  Fair Play Financeiro da UEFA . O clube emitiu nota dizendo que não comentaria o vazamento de documentos que provam as irregularidades.

Apesar do jornal afirmar que o City poderia ficar de fora da próxima Champions, uma eventual punição só deverá ser aplicada na temporada 2020-21. Isso porque, caso o clube realmente seja banido, ele tem direito de recorrer à Corte Arbitral do Esporte. Ou seja, caso haja punição, ela só deverá ser aplicada na próxima Champions.

Leia também: Melhor do mundo? Pep Guardiola chega a 9º título de liga nacional em 11 anos

Confira a nota na íntegra

"O Manchester City FC está totalmente cooperando de boa fé com a investigação em curso do CFCB IC ( Câmara Investigatória do Comitê de Controle Financeiro dos Clubes). Ao fazê-lo, o clube depende da independência e do compromisso do CFCB IC com o devido processo; e no compromisso da Uefa de 7 de março de que “… não fará mais comentários sobre o assunto enquanto a investigação estiver em andamento”.

O relatório do New York Times citando "pessoas familiarizadas com o caso" é, portanto, extremamente preocupante. As implicações são de que a boa fé do Manchester City no CFCB IC esteja equivocada ou que o processo do CFCB IC esteja sendo deturpado por indivíduos com a intenção de prejudicar a reputação do Clube e seus interesses comerciais. Ou ambos.

As contas publicadas do Manchester City são completas e completas e uma questão de registro legal e regulatório. A acusação de irregularidades financeiras é totalmente falsa, e uma prova abrangente deste fato foi fornecida ao CFCB IC”.

    Leia tudo sobre: Futebol