Tamanho do texto

Ivan Gazidis, que já trabalhou no Arsenal, assume o cargo no clube italiano a partir de 1º de dezembro

Ivan Gazidis foi anunciado como novo CEO do Milan; ele assume ainda neste ano
Site oficial
Ivan Gazidis foi anunciado como novo CEO do Milan; ele assume ainda neste ano

O Milan confirmou nesta terça-feira que o executivo sul-africano Ivan Gazidis , que já trabalhou no Arsenal, da Inglaterra, será seu novo CEO a partir do dia 1º de dezembro deste ano.

Leia também: De volta, Kaká tem a missão de convencer Lucas Paquetá a fechar com o Milan

O cartola de 54 anos de idade substituirá o executivo Paolo Scaroni, que havia sido nomeado pela gestora de recursos Elliott, controladora do Milan , como CEO e presidente - ele será mantido neste último cargo.

Gazidis será responsável por orientar as atividades esportivas, financeiras e comerciais do Milan. 

"Estou muito entusiasmado por aceitar este novo desafio e farei tudo o que puder para garantir o regresso do Milan ao topo. Sou grato pela confiança depositada em mim pelo presidente Paolo Scaroni, pelo conselho do Milan e pelos donos do clube", disse o dirigente.

Leia também: Maldini é anunciado como novo diretor do Milan após 10 anos longe do clube

Descrito pelo clube rossonero como um "executivo de nível mundial" e com um bom histórico de "sucesso esportivo e comercial", Ivan Gazidis passou os últimos 10 anos como CEO do Arsenal , da Inglaterra, além de ter desempenhado papel fundamental na criação da MLS (Major League Soccer), a principal liga de futebol dos Estados Unidos.

Em julho deste ano, Paolo Scaroni, ex-comandante das estatais italianas de energia (Enel) e petróleo (ENI), foi nomeado novo presidente e CEO do Milan. Scaroni foi confirmado no cargo após uma votação por unanimidade na assembleia de acionistas, convocada pela primeira vez após a gestora de recursos norte-americana Elliott assumir o controle acionário do clube.

Leia também: Milan consegue reverter punição da Uefa e está liberado para jogar Liga Europa

O executivo já era um dos membros do conselho de administração do clube italiano, que foi quase totalmente renovado: dos oito membros, apenas Scaroni e o ex-CEO da Telecom Italia (TIM) Marco Patuano permanecerem.

O chinês Li Yonghong , ex-proprietário do Milan , Marco Fassone, ex-CEO, e três conselheiros chineses foram demitidos por "justa causa" por decisão da própria Elliott. Já Roberto Cappelli havia apresentado um pedido de demissão após a troca de comando.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.