Tamanho do texto

O Imperador falou sobre seu sentimento após a morte de seu pai e como seus problemas com o álcool atrapalharam sua permanência na Inter

undefined arrow-options
Reuters
Adriano admitiu o abuso de álcool durante seu período na Itália

O atacante Adriano não costuma esconder que teve problemas com o álcool durante sua carreira e desta vez, o Imperador confessou que costumava chegar bêbado nos treinos da Inter de Milão .

Em entrevista ao jornal português “A Bola”, Adriano falou sobre o drama e seus sentimentos após a morte do pai, em agosto de 2004, e como começou a exagerar na bebida.

"Só eu sei aquilo que sofri. A morte do meu pai deixou um enorme vazio na minha vida. Me sentia muito sozinho. Depois da sua morte tudo ficou pior, porque senti que estava totalmente isolado. Estava sozinho na Itália, triste, deprimido e comecei a beber. Só estava feliz quando bebia e fazia isso todas as noites, bebia tudo aquilo que colocava as mãos. Vinho, uísque, vodka e cerveja", revelou o craque.

Leia também: Adriano Imperador se diz vítima de macumba: "Sei que é de mulher"

Com o tempo, o abuso do álcool começou a atrapalhar Adriano no clube italiano, que escondia quando o atacante chegava embriagado pra treinar.

"Não parava de beber e no final tive que deixar a Inter. Não sabia como esconder, chegava bêbado nos treinos. Ia sempre, mesmo que estivesse totalmente bêbado e depois era levado pelos médicos para a enfermaria. O Inter dizia para a imprensa que tinha problemas musculares", contou o atacante.

Para o Imperador, as más companhias eram o grande problema. Ele conta que ao deixar de lado essas amizades, foi mais feliz.

Leia também: Adriano Imperador aparece ao lado de traficante da Rocinha em foto e desabafa

"Mais tarde percebi que o problema era as pessoas à minha volta, amigos que não faziam outras coisas a não ser levarem-me para festas com mulheres e álcool, sem pensarem em nada. Ao regressar ao Brasil abdiquei de milhões, mas ganhei felicidade", finalizou Adriano .


    Leia tudo sobre: Futebol