Tamanho do texto

Zagueiro Piqué revelou como é o tom das conversar entre os atletas dos dois maiores arquirrivais do futebol espanhol

Sabia que os jogadores de Barcelona e Real Madrid trocam mensagens em um mesmo grupo de WhatsApp? Sim, existe esse grupo. Mas qual é o papo? O zagueiro Gerard Piqué revelou o que rola na conversa entre os atletas espanhois dos dois maiores rivais do país.

Leia também: Ministro britânico compara Copa de 2018 na Rússia com Olimpíada nazista

Jogadores de Real Madrid e Barcelona trocam mensagens no mesmo grupo de WhatsApp
AS.com
Jogadores de Real Madrid e Barcelona trocam mensagens no mesmo grupo de WhatsApp

"Quem lê os jornais pensa que nos odiamos, mas, na verdade, nos muito bem e enviamos mensagens no grupo do WhatsApp para falar de táticas, filosofias de jogo e até sobre livros que lemos", disse Piqué ao The Players Tribune. "Acreditaram nisso? Estou brincando! A única coisa que fazemos e tirar sarro uns dos outros sobre os nossos clubes".

"É o máximo. Parecemos crianças. E é particularmente engraçado para mim agora porque temos 15 pontos de vantagem sobre o Real Madrid (no Campeonato Espanhol). Tenho enviado mensagens muito criativas", contou Piqué.

Leia também: Ronaldinho Gaúcho completa 38 anos. Verde e Peixe na semifinal do Paulistão

"Na temporada passada, quando o Real Madrid ganhava tudo, eles estavam muito bem e não paravam de encher o saco quando nos encontrávamos na seleção. Cada vez que venciam um jogo, colocavam uma foto na conversa, colocavam emojis de troféus e escreviam #HalaMadrid", continuou o zagueiro do Barça.

Segundo Piqué , o nome do grupo que tem jogadores de Barça e Real é "PARABÉNS". Mas ele não explicou o motivo. "Eu posso gozar com eles porque são meus companheiros na seleção. Podemos nos odiar pelos clubes, mas jogamos pelo mesmo país, temos o mesmo sonho, e é algo que de me orgulho muito", explicou.

Sobre a Catalunha

Além disso, o zagueiro do Barcelona disse que não quer "ser um político" e que "nunca disse como votaria" na questão da independência da Catalunha. "O que eu acredito é que 7,5 milhões de pessoas da minha Catalunha natal têm o direito de votar sobre esta questão de forma pacífica", avisou.

Leia também: Salah pode gerar prejuízo milionário à empresa telefônica por cada gol feito

"Para mim é uma questão complicada, já que o momento mais feliz da minha vida foi quando venci a Copa do Mundo com Espanha , mas ser catalão está no meu sangue. É a minha gente, a minha herança, a minha terra. E se 80% dos catalães querem poder votar, acho que devem ser ouvidos", explicou Piqué.

O que achou, caro leitor? Daria certo um grupo do WhatsApp com jogadores de Palmeiras e Corinthians? Ou atletas de Grêmio e Inter? Ou até mesmo de Flamengo e Vasco? Deixe sua mensagem no campo de comentários abaixo.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.