Tamanho do texto

Craque português fica de joelhos em cartaz de grupo ligado ao Estado Islâmico que, mais uma vez, ameaça o Mundial de 2018

Um grupo ligado ao Estado Islâmico , mais uma vez, alertou sobre um possível ataque terrorista à Copa do Mundo de 2018, nesta segunda-feira. Após Messi e Neymar serem os alvos, desta vez, quem apareceu sendo 'torturado' foi Cristiano Ronaldo, em imagem divulgada pelo SITE Intelligence Group , um portal que monitora a atividade dos jihadistas na internet.

Leia também: Grupo pró-Estado Islâmico usa Messi e Neymar em nova ameaça à Copa de 2018

Depois de Messi e Neymar, Cristiano Ronaldo é alvo de grupo pró-Estado Islâmico
Reprodução/Twitter
Depois de Messi e Neymar, Cristiano Ronaldo é alvo de grupo pró-Estado Islâmico

No novo cartaz, um terrorista com uma faca aparece atrás de Cristiano Ronaldo , que está ajoelhado sobre uma pilha de ossos, parecida com um cemitério clandestino, e tem um olho roxo. Na parte superior da imagem, o símbolo da Copa que acontecerá na Rússia aparece quebrado.

“Nossas palavras são o que vocês veem, não o que vocês ouvem. Então esperam. Nós estamos esperando também”, diz o texto na imagem. De acordo com o Intelligence Group, o EI tem feito mais propagandas para possíveis ataques terroristas durante o Mundial nos últimos dias, de acordo com o próprio Intelligence Group .

Leia também: Grupo pró-Estado Islâmico usa Messi em cartaz de ameaça à Copa de 2018

Outras ameaças

Esta não é a primeira vez que um grupo pró EI ameaça o Mundial. No último dia 20, a Wafa Media Foundation, porta-voz do ISIS, já havia divulgado um pôster que reproduz um homem com um fuzil observando o estádio Luzhniki, em Moscou, que receberá partidas da Copa, com a frase: "Inimigos de Alá na Rússia, eu juro que o fogo dos mujahideen (combatentes que sacrificam as próprias vidas em nome da religião e da promessa que terão uma recompensa no paraíso) queimará vocês, apenas esperem".

Neymar e Messi aparecem em nova ameaça do Estado Islâmico à Copa do Mundo de 2018
Reprodução/Twitter
Neymar e Messi aparecem em nova ameaça do Estado Islâmico à Copa do Mundo de 2018

Ainda em outubro, o Wafa publicou um artigo em que estimulava o ataque dos chamados "lobos solitários" no Ocidente, como o tiroteio em massa em Las Vegas, que feriu mais de 500 pessoas e matou 59. Em julho, o Intelligence Group denunciou que o EI teria planejado ataques terrorista no torneio de tênis de Wimbledon e iria repetir o que aconteceu na saída do show da cantora Ariana Grande, em 22 de maio, em Manchester, que deixou 22 mortos.

Outra ameaça aconteceu na última segunda, quando Messi apareceu atrás das grades, com roupa de prisioneiro e um dos olhos sangrando, ao lado de uma frase ameaçadora. "Você está lutando contra um Estado que não tem 'fracasso' em seu dicionário". No cartaz ainda é possível ler: "Apenas terrorismo". Didier Deschamps, técnico da França, também já foi utilizado em cartaz de ameaça à Copa.

Leia também: Polícia italiana bane 13 torcedores da Lazio por atos antissemitas

Neste domingo, foi a vez de Messi e Neymar juntos, em uma imagem que lembra os episódios de degolamento, técnicas usadas pelo grupo terrorista para matar reféns estrangeiros ao longo dos últimos anos. O brasileiro aparece de joelhos e com uma expressão de tristeza e o argentino está caído e aparentemente morto. Cristiano Ronaldo foi o último a ser utilizado em arte pró-terrorismo.