Tamanho do texto

Claudio Lotito pode até ser suspenso pela Federação Italiana de Futebol (Figc) e a Lazio arrisca perder mandos de campo por conta do antissemitismo

A Procuradoria da Federação Italiana de Futebol (Figc) acusou a Lazio e o presidente do clube, Claudio Lotito , de "comportamentos discriminatórios" e violação do código de lealdade esportiva por causa dos  folhetos antissemitas espalhados por torcedores no Estádio Olímpico de Roma.

Leia também: Após antissemitismo, torcedores da Lazio cantam hino fascista no Italiano

Claudio Lotito, presidente da Lazio, ao lado de Wallace (à esquerda) e Felipe Anderson (à direita)
Ansa
Claudio Lotito, presidente da Lazio, ao lado de Wallace (à esquerda) e Felipe Anderson (à direita)

O inquérito foi concluído na manhã desta quinta-feira e culpa a Lazio e seu principal cartola pelo estratagema que permitiu a ultras da Curva Nord (Curva Norte), setor que estava fechado por punições anteriores, acompanharem a partida contra o Cagliari no último domingo, pela nona rodada do Italiano, na Curva Sud (Curva Sul) da arena.

Como o setor costuma abrigar a torcida da Roma, ultras da equipe biancoceleste espalharam folhetos com insultos antissemitas e retratando a jovem judaica Anne Frank , vítima do nazismo na Segunda Guerra Mundial, com o uniforme do time giallorosso.

Leia também: Polícia identifica 16 torcedores da Lazio que participaram de ato antissemita

Por conta disso, Lotito pode até ser suspenso pela Figc, enquanto a Lazio arrisca perder mandos de campo. Os episódios do último domingo provocaram uma onda de críticas contra a torcida laziale e diversas homenagens dos outros clubes italianos a Anne Frank e às demais vítimas do Holocausto.

Críticas

O grupo foi criticado em toda a Itália, inclusive pelo presidente Sergio Mattarella, por espalhar pelo Estádio Olímpico, no último domingo, folhetos com frases antissemitas e a imagem de Anne Frank com a camisa da Roma. Segundo a "Irriducibili", tratou-se apenas de uma brincadeira.

"Usar a imagem de Anne Frank como sinal de insulto e ameaça, além de ser desumano, é alarmante para nosso país, que foi infectado há 80 anos pela crueldade obtusa do antissemitismo", afirmou o presidente.

Leia também: Governo italiano condena antissemitismo da torcida da Lazio

Paolo Gentiloni, primeiro-ministro italiano, também criticou a atitude de alguns torcedores da Lazio. "Há algumas coisas incríveis que ainda continuam acontecendo, como por exemplo, um grupo de torcedores de um clube de futebol que pensa que a história e a imagem de Anne Frank é brincadeira", declarou.

Homenagem

Antes da vitória sobre o Bologna, por 2 a 1, fora de casa, os os jogadores da Lazio entraram em campo vestindo camisas com o rosto de Anne Frank, a garota judaica utilizada nos atos preconceituosos, e a frase "Não ao antissemitismo". A equipe está na terceira posição da Série A Tim, com 25 pontos após 10 rodadas.

    Leia tudo sobre: futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.