Tamanho do texto

Zagueiro Armando Lozano deu declarações polêmicas sobre a rivalidade entre os craques e revelou uma curiosidade que acontecia durante os treinos

Após ser eleito o melhor jogador do mundo pela quinta vez e ficar na frente de Lionel Messi pelo segundo ano consecutivo na votação da Fifa, Cristiano Ronaldo ganhou elogios de uma pessoa inusitada: Armando Lozano , zagueiro e ex-capitão do time B do Barcelona. O atleta de 32 anos falou sobre a rivalidade entre os craques em entrevista ao jornal El Chiringuito , nesta quarta-feira, e algumas declarações polêmicas chamaram atenção.

Leia também: Suposta amante de Cristiano Ronaldo se diz "abandonada" após noite de muito sexo

Armando Lozano é ex-capitão do Barcelona B e falou sobre a rivalidade entre Messi e Cristiano Ronaldo
Reprodução
Armando Lozano é ex-capitão do Barcelona B e falou sobre a rivalidade entre Messi e Cristiano Ronaldo

“Nunca trabalhei com ele no dia a dia (com Messi), nem com Cristiano, mas me passa a ideia de que Ronaldo é melhor pessoa”, opinou o ex-capitão . Lozano também falou a respeito de uma situação diferente, mas que acontecia com muita frequência no treino do clube catalão. De acordo com ele, Messi era mesmo diferenciado e se destacava como ninguém no treino, entretanto algumas regras dos treinamentos eram questionáveis.

“Quando Messi queria jogar, ele pegava na bola e não tinha um jogador que conseguisse tirar a bola dos pés dele. Das primeiras vezes que fui treinar com a equipe principal, eu gostava de entrar forte e entrei assim contra Messi. Veio logo o Dani Alves e me falou: ‘Olha, não entres fortes que correm contigo do Barcelona'”, disse o jogador, que salientou que a ação também aconteceu com o zagueiro Bartra, hoje no Borussia Dortmund.

Premiação

Cristiano Ronaldo foi o vencedor do prêmio "The Best" dado aos homens com 43,16% dos votos. Ele deixou para trás o argentino Lionel Messi, que foi preferido por 19,25%, e o brasileiro Neymar, que recebeu 6,97%, em um total de 24 candidatos. Apesar da posição, o atacante do Paris Saint-Germain recebeu menos votos do que em 2015, quando foi terceiro e teve 7,86%.

Assim como no ano passado, votaram técnicos e capitães das seleções masculinas filiadas à Fifa, um jornalista de cada país representado na entidade e por torcedores do mundo todo que se registraram no site da federação. O peso para cada um dos quatro grupos foi igual na eleição: 25%.

Leia também: "Doeu na alma entregar o prêmio a Cristiano e não a Messi", revela Maradona

As mulheres também foram premiadas e a holandesa Lieke Martens foi eleita a melhor jogadora de 2017. A melhor técnica foi Sarina Wiegman, que comanda a seleção holandesa. Juntas, elas conquistaram a Europa neste ano. Entre os homens, o melhor técnico foi Zinedine Zidane, do Real Madrid, que ganhou tudo na última temporada.

italiano da Juventus Gianluigi Buffon foi eleito o melhor goleiro do ano. Ele compôs, ainda, a equipe ideal, formada por: Daniel Alves, Leonardo Bonucci, Sergio Ramos e Marcelo; Luka Modric, Toni Kroos e Iniesta; Neymar, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo.

Leia também: Grupo pró-Estado Islâmico usa Messi em cartaz de ameaça à Copa de 2018

O vencedor do prêmio Puskás, de gol mais bonito, foi o francês Olivier Giroud, pelo gol escorpião marcado com o Arsenal contra o Crystal Palace. A melhor torcida foi a do Celtic, pelo espetáculo apresentado na partida diante do Hearts. Na ocasião, os escoceses fizeram um lindo mosaico em homenagem ao título europeu da equipe. Francis Koné, do Slovacko, da República Tcheca, recebeu o prêmio Fair Play.

Carreira de Lozano

Além de ser ex-capitão do Barcelona B, o zagueiro, atualmente no New York Red Bulls, jogou também pelo Motril, Málaga B, Los Palacios, Málaga, Levante B, Levante, Cartagena, todos da Espanha. Atuou também pelo Veracruz, do México.

    Leia tudo sobre: futebol