Tamanho do texto

"Os adesivos antissemitas ofendem uma comunidade e todo o nosso país. É uma atitude inexplicável", afirmou o presidente da Federação Italiana

Após ser punida por cânticos racistas , a torcida da Lazio novamente protagonizou uma polêmica na Itália. Desta vez, depois da vitória diante do Cagliari, por 3 a 0, no último domingo, pelo Campeonato Italiano, os torcedores da "curva sul" espalharam adesivos e folhetos antissemitas no Estádio Olímpico.

Leia também: Cristiano Ronaldo conquista prêmio de melhor do mundo da Fifa pela quinta vez

Torcedores da Lazio fizeram saudação nazista em duelo contra o Nice pela Liga Europa
Reprodução
Torcedores da Lazio fizeram saudação nazista em duelo contra o Nice pela Liga Europa

Os folhetos continham imagens de Anne Frank , uma adolescente de origem judaica morta durante a Segunda Guerra Mundial em 1945, com a camisa da Roma, principal rival. Além de ter frases antissemitas. A manifestação preconceituosa dos torcedores da Lazio foram retirados pelos faxineiros que limparam o estádio após o término do jogo. O procurador-geral da Federação Italiana de Futebol (Figc), Giuseppe Pecoraro, está investigando o caso.

"Isso não é uma curva, isso não é futebol, isso não é esporte. Fora os antissemitas dos estádios", escreveu em sua conta no Twitter a presidente da Comunidade hebraica de Roma, Ruth Dureghello, junto a uma foto dos adesivos.

Leia também: Fifa pode mudar regra e permitir que jogadores defendam mais de uma seleção

"A União da Comunidade Hebraica Italiana condena a atitude equivocada que aconteceu no Estádio Olímpico de Roma, onde elementos da torcida do Lazio mais uma vez ofenderam a memória da Shoah e do mundo judeu com expressões antissemitas. Contra esses personagens, pedimos uma clara intervenção da Sociedade Esportiva Lazio e das autoridades competentes", afirmou em uma nota à ANSA, a presidente Noemi Di Segni.

Adesivos antissemitas com imagem de Anne Frank, alemã de origem judaica, foram espalhados pelo estádio olímpico
Reprodução
Adesivos antissemitas com imagem de Anne Frank, alemã de origem judaica, foram espalhados pelo estádio olímpico

Defesa

Por sua vez, em comunicado enviado à ANSA, a Lazio disse que "sempre condenou todas as formas de racismo". Além disso, o clube afirmou que "as manifestações envolveram um grupo muito pequeno de pessoas, que não envolvem os torcedores, pois sempre se comportaram bem e de maneira regular". "Os adesivos antissemitas ofendem uma comunidade e todo o nosso país. É uma atitude inexplicável", ressaltou o presidente da Figc, Carlo Tavecchio.

Já o ministro dos Esportes da Itália, Luca Lotti, "condena veementemente o grave" episódio de antissemitismo. "O que aconteceu ontem à noite é muito grave, não há justificativas: são episódios a serem condenados".

Leia também: Jogadores ficam indignados com regra no clube: "Sabem até quando fazemos sexo"

"Estou certo de que as autoridades competentes lançarão luz sobre o que aconteceu e que os responsáveis logo serão identificados e condenados", concluiu Lotti. A prefeita de Roma, Virgínia Raggi, afirmou que a atitude "não é futebol, não é esporte". O caso acontece 20 dias depois da torcida da Lazio ser punida por entoar cânticos racistas contra atletas do Sassuolo durante partida válida pelo Campeonato Italiano.

    Leia tudo sobre: futebol