Tamanho do texto

Seleção de Gana teve gol mal anulado no último minuto da partida contra Uganda e viu as chances de ir à Copa indo pelo ralo após a vitória do Egito

A Associação de Futebol de Gana (GFA) enviou um protesto formal à Fifa após o empate sem gols da seleção do país com a Uganda , pelas Eliminatórias da África para a Copa do Mundo , no último sábado. Uma das mais tradicionais equipes africanas ficará fora do Mundial de 2018, na Rússia, já que o Egito venceu o Congo por 2 a 1 e não pode mais ser alcançado no Grupo E.

Leia também: Ouça a nova música da torcida argentina com provocações ao Brasil e Alemanha

Uganda e Gana empataram sem gols muito por conta da atuação ruim do trio de arbitragem
Reprodução/Twitter/ghanafaofficial
Uganda e Gana empataram sem gols muito por conta da atuação ruim do trio de arbitragem

O motivo do protesto é devido à atuação do árbitro da partida, o sul-africano Daniel Bennett, e seus assistentes, Eldrick Adelaide e Steve Marie. Eles anularam um gol de Gana de forma equivocada já nos acréscimos do segundo tempo o que impediu a vitória.

"O Sr. Bennett (árbitro do jogo) e seus auxiliares anularam um gol legal de Gana aos 93 minutos (48 do segundo tempo), e o replay da TV mostrou que foi legal. O árbitro também não marcou um pênalti para Gana no começo do segundo tempo quando Frank Acheampong foi derrubado dentro da área", diz o comunicado.

Leia também: Cadela salva-vidas é homenageada no México e assiste jogo das Eliminatórias

No lance, o atacante Dwamena saiu de trás para aproveitar um rebote do goleiro Denis Onyango, que não conseguiu segurar um chute de fora da área quando a bola quicou na sua frente, e fez o gol que daria a vitória a Gana. O assistente anulou e o árbitro confirmou, apitando o final da partida logo depois. Nas imagens da televisão, porém, foi possível ver que o ganês estava em posição legal.

Assista ao lance abaixo

Se o gol tivesse sido confirmado, a seleção de Gana iria aos oito pontos, na vice-liderança do Grupo E, enquanto Uganda ficaria com sete. O resultado permitiria que o Egito empatasse com Congo, neste domingo, que os ganeses dependeriam apenas de si para ir à Copa de 2018, já que enfrentam justamente os egípcios na última rodada do torneio, dia 5 de novembro, em casa.

Leia também: Tite diz que observa "em torno de 50 atletas" para lista da Copa. Só cabem 23

"A GFA, respeitosamente, pede à Fifa que considere a possibilidade de realizar novamente a partida para fazer justiça sem medo ou favor", finaliza a nota. A Associação de Futebol de Gana também afirma que enviou a reclamação "logo após a partida" e reclama ainda de um suposto pênalti não marcado em cima do meia Acheampong, também na etapa final.

*Nota atualizada às 17h07 logo após o fim do jogo entre Egito e Congo

    Leia tudo sobre: futebol