Tamanho do texto

Clube aurinegro publicou vídeo onde os nazistas são ridicularizados durante partida de futebol; eleições alemãs mostraram avanço da extrema-direita

Neste final de semana foram conhecidos os novos membros do Bundestag, o Parlamento alemão, e, pela primeira vez desde o fim da Segunda Guerra, em 1945, a extrema-direita , representada pelo partido Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão) terá espaço no Legislativo. E por conta da ligação do ultradireitismo com o nazismo , o Borussia Dortmund decidiu se manifestar nesta segunda-feira.

Leia também: Guardiola é flagrado dando instruções a gandula durante jogo do City

O Borussia Dortmund ridicularizou o nazismo em vídeo após as eleições alemãs que mostrou crescimento histórico da extrema-direita
Reprodução/Twitter/BVB
O Borussia Dortmund ridicularizou o nazismo em vídeo após as eleições alemãs que mostrou crescimento histórico da extrema-direita

Através do Twitter, o Borussia Dortmund publicou um vídeo no qual ridiculariza os nazistas . Com o lema "o futebol e o nazismo simplesmente não se encaixam", o vídeo mostra um grupo de nazistas tentando jogar uma partida de futebol, mas eles falham em suas tentativas de fazer o gol, além de levarem boladas e serem perseguidos por um cachorro.

A intenção do clube é apaziguar o nível de violência que tem aumentado na Europa justamente por conta do avanço da extrema-direita. Por ser uma equipe tradicional e mundialmente conhecida, o alcance da publicação é grande e até a conclusão desta matéria havia sido compartilhada por mais de 11 mil pessoas e curtida por mais de 18 mil.

Assista ao vídeo abaixo

Com 13,3% dos votos, a AfD terá 94 assentos no Bundestag e agora é a terceira força política da Alemanha, atrás somente do partido da atual chanceler reeleita, Angela Merkel, o CDU CDU (União Democrata Cristã), e também do seu principal opositor, Martin Schulz, do Partido Social-Democrata (SPD).

Sobre o AfD

Fundada em 2013, a Alternativa para a Alemanha é contrária aos planos da União Europeia de resgatar a Grécia e salvar o euro. O partido é contrário à entrada de imigrantes e também diz que o islamismo é 'incompatível' com o país europeu. O crescimento da AfD se deu justamente após a abertura das fronteiras alemãs para quase 900 mil imigrantes e refugiados entrarem no país, em 2015.

O partido é fortemente ligado com o movimento anti-imigração Pegida, que organizou marchas semanais contra o escárnio chamado "islamização do Ocidente". O slogam da AfD é "Lügenpresse", que quer dizer "imprensa mentirosa", parecido com o que acontecia na era nazista com Hitler e também associado ao "fake news", que se tornou um bordão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Leia também: Mãe escreve carta tocante após filho fã de Cristiano Ronaldo morrer em terremoto

Sendo assim, eles defendem a reintrodução de controles permanentes das fronteiras do país e o fechamento completo das fronteiras externas da UE, o que vai contra ao acordo de Schengen - a zona de livre circulação da União Europeia, onde os controles das fronteiras entre os países europeus são mínimos.

Histórico de posições fortes

Essa não é a primeira vez que o Borussia se manifesta contra atitudes extremistas na política mundial. Em janeiro deste ano, logo após a posse de Trump nos EUA, o clube tuítou uma foto da sua torcida no Signal Iduna Park com a legenda: "O único muro em que acreditamos", em posição contrária à polêmica proposta do presidente norte-americano de construir um muro na fronteira dos EUA com o México.

Leia também: Neymar se vê isolado no PSG após polêmica com Cavani, informa jornal

Em campo, o Borussia Dortmund vai muito bem no Campeonato Alemão e lidera com 16 pontos em seis jogos. A próxima partida, no entanto, será diante do Real Madrid, nesta terça-feira, às 15h45, horário de Brasília, pela segunda rodada da Liga dos Campeões. Na primeira rodada, a equipe aurinegra foi superada pelo Tottenham, fora de casa, por 3 a 1.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.