Tamanho do texto

Ex-Manchester United superou o drama da morte da esposa e vai voltar ao mundo esportivo, mas desta vez, dentro do ringue

Rio Ferdinand e o amigo boxeador Anthony Joshua
Reprodução
Rio Ferdinand e o amigo boxeador Anthony Joshua

Há dois anos atrás, Rio Ferdinand perdeu a esposa, de 34 anos de idade, vítima de um câncer de mama. Afastado do futebol desde 2015, quando passou a dedicar sua vida aos três filhos frutos do casamento com Rebecca Ellison, o ex-jogador do Manchester United vai voltar ao mundo esportivo. Mas desta vez, bem longe dos gramados e vai se tornar boxeador profissional.

LEIA TAMBÉM: O drama de Ferdinand após morte da esposa: suicídio, álcool, acidente e pânico

De acordo com o jornal "The Guardian", Ferdinand resolveu levar a sério o esporte que praticava para desestressar e manter a forma após a aposentadoria. Diversos vídeos de treino já haviam sido publicados pelo próprio ex-jogador, mas a rotina do pugilista vai ser inteiramente filmada e comercializada em um documentário e assim, o último episódio mostrará sua primeira luta.

"O boxe é um esporte incrível para a mente e o corpo. Eu sempre tive uma paixão por isso e esse desafio é a oportunidade perfeita para mostrar às pessoas o que é possível", afirmou o atleta de 38 anos de idade. "É um desafio que não estou levando levemente, óbvio que nem todos podem se tornar um boxeador profissional, mas com a equipe de especialistas e unidade que tenho, tudo é possível".

Embora a carreira de pugilista esteja sendo levada a sério, ainda não se sabe se Ferdinand vai lutar várias vezes ou fazer apenas uma única luta . O ex-United é amigo pessoal do boxeador Anthony Joshua e sempre acompanha os duelos do colega.

LEIA TAMBÉM: Neymar e Cavani discutiram feio e quase trocaram socos no vestiário do PSG

Dramas da perda

Rio Ferdinand e sua esposa Rebecca
Divulgação
Rio Ferdinand e sua esposa Rebecca

Rio Ferdinand e Rebecca Ellison se conheceram em 2000 e seis anos depois, tiveram o primeiro filho, Lorenz. Apenas dez semanas depois de ser diagnosticada com câncer de mama, a mulher faleceu e deixou ainda outros dois filhos, Tate (8) e Tia (5).

"Ninguém te prepara para lidar com a perda. Eu tive uma vida inacreditável, uma esposa incrível, ótimas crianças e em seguida, bang, no momento em que Rebecca foi diagnosticada, tudo mudou. Eu preciso de ajuda, eu sei que preciso de ajuda", disse Ferdinand ao "The Sun".

"Antes de ir, ela me disse que eu seria um pai e também uma mãe maravilhosa para as crianças", disse. O primeiro instante após a perda, Ferdinand conta ter sido o mais difícil. Além de ter aumentado o consumo de álcool, o ex-jogador ainda sofreu um acidente de carro e passou por ataques de pânico. "No começo, eu estava bebendo muito à noite. Nos primeiros três ou quatro meses, depois que as crianças dormiam, eu descia para beber. Cheguei a ter um ataque de pânico sozinho em casa."

LEIA TAMBÉM: Jogador argentino é condenado a mais de seis anos de prisão por abuso sexual

Ele ainda admite jamais tinha considerado o suicídio como saída, mas perder a esposa o fez entender o porquê das pessoas tirarem suas próprias vidas. "Eu costumava pensar como poderia alguém ser tão egoísta e cometer suicídio? Mas agora posso simpatizar, posso entender".

"Nós homens somos ignorantes. As mulheres cuidam da família e da casa e nós não vemos isso como um trabalho. É um trabalho duro", disse Ferdinand. "São coisas básicas. Eu costumava levantar e levas as crianças para a escola todos os dias, eu só acordava dez minutos antes de sair. E eles já estavam de banho tomado, alimentados e eu só os coloquei no carro. E esse era o meu papel".

Clique e baixe o 365Scores para ter resultados, dados, notícias, tempo real, vídeos e muito mais



    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.