Tamanho do texto

Maior artilheiro da Bélgica elogia camisa 10 da seleção e coloca o Brasil como favorito nas quartas; já treinador belga vê semelhanças entre equipes

Às vésperas do duelo decisivo contra o Brasil pelas quartas de final da Copa do Mundo , o centroavante titular da Bélgica, Romelu Lukaku, foi o escolhido para conceder entrevista coletiva ao lado do técnico Roberto Martínez. Como tem acontecido com outros jogadores, ele foi questionado se Neymar é mais habilidoso ou ator - e respondeu com clareza.

Leia também: Quem leva vantagem? Brasil e Bélgica já se enfrentaram quatro vezes na história

Lukaku durante a entrevista coletiva um dia antes do jogo decisivo contra o Brasil pelas quartas da Copa
Reprodução/Twitter/BelRedDevils
Lukaku durante a entrevista coletiva um dia antes do jogo decisivo contra o Brasil pelas quartas da Copa

"Ele é habilidoso. Neymar não é ator. Contra o Neymar, os jogadores chegam mais duro, porque ele tem qualidades que não são normais. Acho que no futuro ele vai ser o melhor jogador do mundo. Estou feliz de jogar contra ele mais uma vez", afirmou Lukaku , em português.

Para Lukaku, Brasil é favorito

Além disso, o maior artilheiro da história da seleção belga, com 40 gols, e que fez quatro nesta Copa, ressaltou que o Brasil é o favorito e que a partida será um 'grande teste' para os belgas.

"Nós nos preparamos como equipe, temos um sistema em que jogamos há dois anos. Individualmente, melhoramos. Acho que será um grande teste, porque enfrentaremos o melhor time do torneio, o favorito, e será um grande teste para ver como estamos como time", ponderou o camisa 9.

"Como jogador, você quer avançar o tanto quanto possível. Amanhã (sexta-feira) é um grande teste. Mas se você quer o melhor, tem que garantir isso nas situações mais difíceis. Nós temos que vencer amanhã. Agora a gente vai enfrentar adversários cada vez mais fortes, mas esse jogo agora é talvez contra o favorito absoluto. Se vencermos, vamos pegar outro adversário difícil. Vamos ver até aonde vamos chegar", acrescentou.

Fala, Martínez

O técnico da Bélgica, Roberto Martínez, vê muitas semelhanças entre sua seleção e a brasileira
Divulgação/BelgianRedDevils
O técnico da Bélgica, Roberto Martínez, vê muitas semelhanças entre sua seleção e a brasileira

Já o treinador Roberto Martínez , falou sobre as diferenças e semelhanças entre as duas seleções. Para ele, um detalhe importante é o que mais difere as equipes.

"Acho que a diferença é clara. As duas equipes são semelhantes em termos de qualidade. Temos talento na nossa seleção. A diferença é que nunca ganhamos uma Copa do Mundo. É simples. É uma vantagem que o Brasil tem. Eles já se livraram dessa barreira psicológica", afirmou o comandante.

"Vamos respeitar o Brasil por tudo o que conquistaram. Mas vamos tentar vencer e aceitar o desafio. Além da técnica e da tática, eles têm a experiência de ter vencido uma Copa do Mundo", continuou.

Leia também: Seleção é recebida com festa em Kazan e faz último treino antes de decisão

Martínez também falou especificamente sobre Tite e Neymar. A respeito do técnico da seleção brasileira, disse que suas as ideias são parecidas e de Neymar, que fará uma marcação forte para que ele permaneça 'quieto'.

"Nós compartilhamos algumas visões. Com todo o respeito ao Brasil, ao Tite, ao trabalho dele... o jogo não é para o técnico; é para os jogadores. Estamos esperando ver isso, o talento. É uma grande arma de ambas as equipes. Nos baseamos no talento individual, no jogo de um contra um. Queremos jogar abertos, sem ser na retranca. Vamos defender, mas num jogo aberto", afirmou.

"O Neymar é um dos grandes expoentes do futebol técnico. No um contra um, ele é decisivo. Temos que mantê-lo quieto, se possível, com nossos jogadores desempenhando um papel forte. Temos muito respeito pelo que o Brasil conseguiu com sua equipe", acrescentou o espanhol.

Por fim, o técnico admitiu, como já havia feito Hazard e Kompany, que jogar contra o Brasil em uma Copa do Mundo será um grande momento para a equipe europeia.

"Claro que é uma grande ocasião, não se pode esconder isso. Se você negar isso, é um imbecil. Trabalhamos duro para chegarmos aqui, e os jogadores estão prontos. Nós crescemos no torneio e mostramos, contra o Japão, do que essa seleção é capaz. Acho que os sinais são positivos. Acho que estamos tão prontos quanto nunca. É um desafio, trabalhamos muito nos dois últimos anos para esse momento", finalizou.

Leia também: Tite confirma Marcelo e Fernandinho no jogo entre Brasil e Bélgica

A Bélgica de Lukaku não perde há 23 jogos - a última derrota foi há quase dois anos, em setembro de 2016, para a Espanha. Desde então, são 18 vitórias e cinco empates. O duelo desta sexta acontece a partir das 15h, em Kazan. Quem passar vai enfrentar Uruguai ou França na semifinal.

    Leia tudo sobre: futebol