Tamanho do texto

Jogador mostrou tatuagem de arma durante treino no St. George's Park

Na última segunda-feira (28) Raheem Sterling, jogador da Inglaterra convocado para a Copa do Mundo da Rússia, usou seu Instagram oficial e mostrou pela primeira vez a tatuagem de um rifle M16 que tem na perna direita, durante um treino no  St. George's Park.

Leia também: Manchester United quer tirar Bale do Real: quase R$ 1 bilhão e salário de Messi

Raheem Sterling
Getty Images
Raheem Sterling


Lucy Cope, que funcou o grupo "Mothers Against Guns" depois do filho ser morto em 2012, disse que  Raheem Sterling não deveria jogar pela equipe inglesa, a não ser que se livre da tatuagem. "Esta tatuagem é repugnante. É totalmente inaceitável", disse ao jornal The Sun .

O jogador, que foi para o Manchester City em julho de 2015, usou a própria rede social para responder e explicou que sua tatuagem reflete uma promessa que ele fez a si próprio de "nunca tocar numa arma" após o pai ter sido morto a tiro quando Sterling ainda era criança.

Leia também: Unai Emery é anunciado como treinador do Arsenal e substituto de Wenger

Segundo a BBC, o ex-jogador Gary Lineker foi um dos que saiu em defesa de Sterling, referindo que é "um excelente jogador de futebol com uma brilhante ética de trabalho" e que o tratamento noticioso do jornal The Sun era "repugnante".

When you’re training and realised you ain’t post on the gram in couple days.📸

Uma publicação compartilhada por Raheem Sterling x 😇 (@sterling7) em

Leia também: Hart desabafa por não ter sido convocado pela Inglaterra: "Estou decepcionado"

O pai do jogador foi morto em Kingston, Jamaica, quando Raheem Sterling tinha dois anos.


    Leia tudo sobre: Futebol